Garoto autista grava animação com desenhos que criou sobre suas emoções

Ananda Portela* - O Estado de S.Paulo

Luís Schenk também fez a locução do vídeo, que faz parte do projeto De Criança para Criança

Os desenhos auxiliaram Luís no processo de compreensão de seus sentimentos e reações a determinadas situações

Os desenhos auxiliaram Luís no processo de compreensão de seus sentimentos e reações a determinadas situações Foto: marimari1101/Pixabay

Luís Schenk tem 12 anos e, a convite do projeto De Criança para Criança - iniciativa que transforma desenhos e histórias em animações 2D - desenvolveu uma história em vídeo que fala sobre suas emoções e reações em relação a determinadas situações.

O projeto tem como principal objetivo estimular a criatividade, leitura e interação social das crianças e adolescentes.

"Pela primeira vez, e através de um diálogo lúdico universal, crianças podem ver seus desenhos ganharem vida na tela - exatamente como foram criados", explica, Gilberto Barroso, um dos criadores do De Criança para Criança.

Em entrevista ao E+, Marie Dorion, mãe de Luís, explicou que o convite surgiu depois que os idealizadores do projeto viram os desenhos do garoto na internet. "Tenho página no Facebook e sou muito mãe coruja (risos). Eles viram os desenhos e perguntaram se o Luís não queria falar sobre autismo", afirmou Marie.

O garoto já estava tratando essas questões na terapia e por isso aceitou o convite da organização. "Ele já estava trabalhando o controle das emoções dele e decidiu falar sobre isso", explicou a mãe.

Depois da divulgação do vídeo, Marie ressaltou que Luís está muito animado com o resultado. "Ele está vibrante! Ele gosta muito de explicar o que ele passa, ajudar os outros a entenderem o autismo. Ele ficou muito animado", completou.

Os desenhos são muito importantes no processo de compreensão de Luís. Eles auxiliam, não só na parte social, mas também no quesito emocional, pois ele consegue expressar seus sentimentos e reações a determinadas situações.

No vídeo, Luís deixa uma mensagem: "Aprendi que minhas emoções não estão erradas, mas, às vezes, meu comportamento pode magoar os outros, e eu não quero magoar ninguém. Então quero aprender a ter compaixão."

Confira o vídeo:

*Estagiária sob supervisão de Charlise Morais