Fazer exercício físico no inverno exige cuidados especiais

Luiza Pollo - O Estado de S.Paulo

Além do aumento no risco de lesões para todas as pessoas, hipertensos precisam ficar ainda mais atentos

Abaixo dos 14 graus, aumentam em 30% os casos de enfarte, de acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão.

Abaixo dos 14 graus, aumentam em 30% os casos de enfarte, de acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão. Foto: niekverlaan/Pixabay

O inverno brasileiro pode não ser lá tão frio assim, mas as baixas temperaturas exigem cuidados diferenciados na hora de praticar exercícios físicos.

Antes de mais nada, não vale usar o frio como desculpa para o sedentarismo. “Nós gastamos mais calorias no inverno, pois nosso organismo luta para manter um equilíbrio entre a temperatura interna – chamada de central – e a externa – conhecida como periférica”, explica Waldecir Paula Lima, presidente da Comissão Especial de Saúde do Conselho Regional de Educação Física de São Paulo. No entanto, não pense que fica mais fácil para emagrecer no frio, até porque esse gasto maior de calorias costuma ser compensado com uma alimentação mais reforçada.

Depois de juntar energia para se exercitar, o mais importante é se aquecer bem. Além de usar roupas apropriadas para o tempo, é essencial se alongar e fazer exercícios de aquecimento para aumentar os batimentos cardíacos e, consequentemente, esquentar o corpo. 

“O corpo converge sangue para a parte central. Por isso, em ambientes frios há necessidade de um maior aquecimento cardiovascular. Isso faz com que haja maior fluxo de sangue, que é distribuído para as áreas periféricas.” O profissional explica que, assim, há menor risco de lesão, pois os músculos e as articulações funcionam melhor. 

Além disso, Cristina Midori, clínica-geral da Clínica Fares, explica que a musculatura fica mais contraída quando está frio e, portanto, o alongamento também é muito importante.

A médica afirma que o sistema respiratório também sofre um pouco mais. Rinite e asma podem piorar nessa época, ainda mais com a grande quantidade de ar gelado que vai direto para os pulmões quando respirado pela boca. 

Mesmo quem se exercita em ambientes internos precisa tomar alguns cuidados especiais nessa época. Com o aumento nos casos de gripe, é ainda mais importante higienizar os equipamentos compartilhados na academia, alerta Cristina. Também é essencial tomar cuidado para não sair, com o corpo quente, para um ambiente gelado. Lima afirma que, dependendo da situação do sistema imunológico da pessoa, pode haver impacto na saúde.

Hipertensão. Quem sofre com pressão alta precisa tomar ainda mais cuidado no inverno, principalmente durante o exercício físico. Dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão indicam que o frio aumenta em 30% os casos de enfarte. E não precisa estar tão gelado assim. Abaixo dos 14ºC, o risco já aumenta. 

“Há uma vaso compressão maior, e pressão fica mais alta. Por isso, é preciso se manter bem hidratado, e pacientes hipertensos devem fazer acompanhamento com cardiologista”, diz Cristina.