Exercício físico é essencial para cardiopatas, afirma especialista

Anita Efraim - Especial para O Estado de S. Paulo

Corrida e bicicleta são exercícios indicados por cardiologista

Caminhada ou corrida são bastante indicados

Caminhada ou corrida são bastante indicados Foto: Pixabay

Praticar esportes é indicado para qualquer pessoa, mas é ainda mais importante para cardiopatas - pessoas com problemas cardíacos congênitos. Para isso, é essencial consultar um médico e saber quais as limitações de cada paciente e quais exercícios eles podem fazer.

Para quem já enfartou, é preciso começar a fazer esportes o quanto antes, mas não sem antes fazer os exames necessários. É o que explica Carlos Hossri, cardiologista e coordenador do Serviço de Reabilitação Cardíaca, Pulmonar e Metabólica do HCor (Hospital do Coração). "Recomendamos alguns exames cardiológicos como o teste ergométrico e o ecocardiograma antes do início do treinamento, com o objetivo de verificar o condicionamento físico e analisar também o funcionamento do coração frente ao esforço."

Hossri recomenda especialmente os exercícios aeróbicos, pois eles ajudam na elevação da capacidade cardiorrespiratória. "As caminhadas são as mais indicadas, democráticas e gratuitas, pois requerem apenas um calçado confortável - de preferência com algum sistema de amortecimento - e roupas leves", opina. Se o paciente for liberado pelo seu médico, ele também recomenda as corridas, tanto ao ar livre quanto na esteira. Andar de bicicleta ou optar pelo exercício na bicicleta ergométrica é igualmente recomendado.

O ideal é que, aliado aos esportes que fortalecem a parte cardiorrespiratória, o paciente também faça musculação, pois isso complementa os benefícios do aeróbico. "A associação de exercícios aeróbicos com exercícios de força irão ampliar a força muscular do organismo, bem como a potência do coração", explica o cardiologista.

Andar de bicicleta é uma opção de prática de exercícios cardiorrespiratórios

Andar de bicicleta é uma opção de prática de exercícios cardiorrespiratórios Foto: Pixabay

Para pessoas sem grandes limitações, o ideal é fazer exercícios aeróbicos cinco dias por semana durante 30 minutos ou 25 minutos de atividade cardiorrespiratória três dias na semana associado ao fortalecimento muscular dois dias na semana. Para aqueles que querem reduzir a pressão arterial e o colesterol, o cardiologista indica 40 minutos de atividade aeróbica moderada e intensa três ou quatro dias por semana.

Aos pacientes que não têm uma condição tão grave, o risco de um problema cardíaco desencadeado pelo exercício é bem menor do que o de ter complicações decorrentes do sedentarismo.

Quem tem cardiomiopatia hipertrófica precisa ter mais cuidado com as atividades físicas, porque a doença faz com que haja mais restrições. "Neste caso, o ideal é fazer atividades de baixa intensidade", explica Hossri. "O médico cardiologista irá determinar o que esse paciente pode ou não fazer, pois até para atividades como pilates, ioga e tai-chi-chuan poderá ter alguma restrição, já que alguns exercícios e posições podem gerar instabilidade elétrica do coração e consequentemente arritmias graves."