Embrião congelado por 24 anos gera bebê de mãe dois anos mais velha

Redação - O Estado de S.Paulo

Sem saber, Tina Gibson, de 26 anos, escolheu um embrião criado em 1992

Benjamin tinha problemas de fertilidade, então ele e Tina 'adotaram' um embrião

Benjamin tinha problemas de fertilidade, então ele e Tina 'adotaram' um embrião Foto: Pixabay

A norte-americana Tina Gibson deu à luz Emma no dia 25 de novembro deste ano, aos 26 anos. A menina é fruto de uma inseminação artificial de outro casal, que deixou alguns embriões congelados para que outra mulher pudesse implantá-los no futuro. Até aí, pode parecer uma história comum, mas o embrião que gerou Emma pode ser um dos mais antigos a resultar, com sucesso, em um bebê. Ele foi congelado em 1992.

À CNN, Tina e o marido, Benjamin Gibson, relatam que não tentaram bater o 'recorede' de propósito. Eles escolheram quatro embriões irmãos depois de descobrirem que Benjamin tinha fibrose cística, um transtorno que pode levar, em alguns casos, à infertilidade masculina.

O casal só descobriu a idade do embrião quando estava se preparando para a implantá-lo. "Você tem noção de que eu só tenho 25 anos?", disse Tina ao médico quando soube da informação. "Este embrião e eu poderíamos ter sido melhores amigas."

O médico Zaher Merhi, diretor de pesquisa de fertilização in vitro no New Hope Fertility Center, disse à CNN que é impossível ter certeza se Emma é realmente fruto do embrião mais velho que gerou um bebê nos Estados Unidos, pois os dados não são coletados em nível nacional.

Ainda de acordo com a reportagem, alguns casais costumam doar embriões após terem sucesso em fertilizações anteriores e decidirem que a família está completa. Assim, os remanescentes ficam disponíveis para 'adoção'.

Tina e Benjamin.