Dicas para comer no trabalho

Tulio Kruse - O Estado de S.Paulo

Entre o mais saudável e o menos recomendável para quem faz as refeições no serviço, nutricionistas dizem que sempre há escolhas inteligentes

Comer no trabalho é um problema para quem quer emagrecer e se manter saudável, afinal o cardápio típico de lanchonete oferece pouco além dos salgados fritos e assados. A solução é procurar pelas fibras. Os nutricionistas concordam que trazer frutas de casa é a melhor solução para matar a fome no serviço, e mesmo entre alimentos mais industrializados existem escolhas inteligentes.

O critério para escolher as frutas é a resistência ao calor, já que algumas podem estragar na viagem de casa ao trabalho. Mexerica, maçã e laranja estão entre as mais resistentes. Além da vantagem das fibras, que ajudam no bom funcionamento do intestino, a maior parte das frutas são ricas em água e ajudam na hidratação durante o dia.

A segunda opção são frutas secas, também altamente fibrosas e facilmente levadas na bolsa. "Para compensar a falta de fibras, minerais e vitaminas, as frutas secas são fáceis de levar e não há risco de estragarem com a temperatura," diz a nutricionista doutoranda na Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp, Cinthia Betim.

Quanto às barras de cereal, é preciso ter cautela. Se estiver de jejum, comer uma barrinha pode alterar rapidamente o nível de açúcar no sangue e aumentar o risco de hipoglicemia, diz Cinthia.

"As pessoas devem prestar atenção na composição das barras de cereal," diz a professora do curso de Nutrição da USP Mônica Jorge. Ela aconselha comparar opções diferentes e prestar atenção nos níveis de sódio, valor calórico, proporção de frutas e cereais, antes de optar pela barrinha. Para acompanhar, ela recomenda trazer de casa um iogurte - rico em cálcio e proteína, ainda melhora a flora intestinal.

Se não há como escapar do salgado, vale a regra de escolher sempre os assados e nunca os fritos. É bom procurar produtos com farinha integral, mas mesmo entre opções menos saudáveis há escolhas inteligentes. "Entre um kibe e uma coxinha de frango, onde geralmente vem muito mais massa, o kibe seria melhor. Também depende do kibe, porque às vezes o cozinheiro coloca muita farinha e pouca carne," explica Cinthia.