Como aproveitar as comidas típicas das festas juninas sem sair da dieta 

- O Estado de S.Paulo

Substituir os embutidos por carnes frescas é uma boa maneira de evitar calorias demais

Doces feitos de milho são a melhor aposta para quem não dispensa a sobremesa

Doces feitos de milho são a melhor aposta para quem não dispensa a sobremesa Foto: Filipe Araújo/Estadão

Festas juninas são um período difícil para quem faz dieta, afinal, são muitas tentações durante o período. De acordo com a nutróloga Ana Luisa Vilela, é possível comer de modo saudável nas festas típicas dos meses de junho e de julho. Para isso, afirma a médica, é preciso apostar nos alimentos certos, isto é, que não engordam e ainda podem ajudar a melhorar o funcionamento do organismo. 

As comidas mais engordativas da festa, de acordo com Ana Luisa, são salsicha, paçoca, arroz-doce e canjica. "Elas têm quase 400 calorias em 100 gramas", alerta a nutróloga, que aconselha a fazer substituições saudáveis. Uma das dicas da médica é trocar os embutidos por carnes frescas, como cachorros quentes por sanduíches com carne desfiada ou moída, ou até espetos de churrasco. 

"Além de serem ricos em proteínas, se combinados com o milho cozido, que é rico em fibras, esses alimentos podem estimular o bom funcionamento do organismo", diz Ana Luisa. 

Ela chama atenção também para os doces feitos de milho, como o cural e a pamonha, que são boas opções para quem não dispensa a sobremesa. "Prefira sempre os doces mais naturais possíveis e fuja das frituras, já que o óleo dessas festas normalmente é reutilizado e se transforma em gordura trans - que está diretamente relacionada às doenças cardiovasculares", aconselha a nutróloga. Outra dica de Ana Luisa é substituir o amendoim por oleaginosas, como as castanhas. 

Para quem não quiser fazer muitas restrições, a orientação da médica é para consumir pequenas porções, correspondentes a metade da palma da mão. 

Outra dica é para os que gostam de quentão, mas não querem fugir da dieta: é possível fazer uma versão sem álcool e trocar o açúcar refinado por adoçante.