Caxumba: entenda os sintomas, como prevenir e como tratar

Zé Enrico Teixeira - O Estado de S.Paulo

No último fim de semana, Neymar contraiu o vírus da doença; vacinação fez os números de casos despencarem no País

O camisa 11 do Barcelona ficará duas semanas afastado dos gramados devido a suspeita de caxumba.

O camisa 11 do Barcelona ficará duas semanas afastado dos gramados devido a suspeita de caxumba. Foto: Divulgação

No último fim de semana, o Barcelona, time onde joga o atacante Neymar, noticiou que o jogador irá desfalcar a equipe devido a um diagnóstico de caxumba. Mesmo tendo sido vacinado contra a doença, Neymar terá que ficar duas semanas afastado dos campos para se tratar.

A caxumba é uma infecção viral que tem como principal característica o inchaço das glândulas salivares localizadas entre as orelhas. Além do inchaço dessas glândulas, outros sintomas da doença são: febre, dor de cabeça, falta de apetite e dor ao mastigar ou engolir. O período de incubação do vírus costuma ser de duas a três semanas. Depois disso, os sintomas costumam aparecer. É raro que a portador do vírus tenha alguma complicação devido  à caxumba, mas ela pode vir a tornar-se um inchaço nos testículos (orquite), ou nos ovários (ooforite). Nos casos mais graves, a caxumba pode levar à meningite ou até à surdez.

A transmissão do vírus se dá exclusivamente entre pessoas, por meio de secreções salivares trocadas em beijo, ao compartilhar talheres e copos, ou até mesmo numa conversa muito próxima. 

Não há tratamento ou medicamentos específicos para a caxumba. O melhor meio de prevenção é a vacina tríplice viral, que além de proteger contra a caxumba, também imuniza contra o sarampo e a rubéola. A vacina deve ser dada em duas doses às crianças quando completam o primeiro ano de vida, e depois uma terceira dose durante a vida adulta, até os 49 anos.

Assim com a maioria da infecções virais, a caxumba é tratada diretamente pelo organismo. Com repouso, uma pessoa que contraiu a doença, geralmente, fica livre dela sem maiores complicações duas semanas depois do vírus agir. Também de maneira geral, uma pessoa costuma não ser mais considerada contagiosa, uma semana após os sintomas surgirem, podendo voltar para as suas atividades do dia a dia normalmente.

Ainda tem dúvidas sobre as vacinas necessárias nas diferentes fases da vida? Selecionamos matérias sobre imunização para manter a caderneta em dia: