Alimentação influencia na saúde auditiva

Maria Eduarda Chagas - O Estado de S.Paulo

Açúcar, cafeína e tabaco em excesso podem prejudicar a audição

"Erros alimentares prejudicam os três principais sintomas otoneurológicos: perda auditiva, zumbido e tontura - as famosas labirintites"

"Erros alimentares prejudicam os três principais sintomas otoneurológicos: perda auditiva, zumbido e tontura - as famosas labirintites" Foto: Propaul Townsend/ Creative Commons

Sensação de zumbido? Perda auditiva? Tontura? Má alimentação pode piorar esses problemas. Segundo o otorrinolaringologista Fernando Freitas Ganança, coordenador do Departamento de Otoneurologia da ABORL-CCF (Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvio-Facial), alguns hábitos podem ser prejudiciais para a audição, a longo prazo, de forma qualitativa e quantitativa. "Erros alimentares prejudicam os três principais sintomas otoneurológicos: perda auditiva, zumbido e tontura - as famosas labirintites", afirma.

Uma dieta rica em açúcar refinado, por exemplo, não é recomendada. O açúcar tem glicose e a substância, em excesso, causa um aumento da insulina, que tem uma função importante na regulação de íons presentes no ouvido interno. "Se a pessoa come diariamente ou em grande quantidade alimentos muito doces, como chocolate, sorvete, refrigerante, bala, isso pode ser prejudicial para a saúde auditiva", diz.

A cafeína, o álcool e o tabaco também podem atrapalhar o funcionamento dos ouvidos. Essas substâncias devem ser evitadas por quem tem propensão a desenvolver problemas de audição. "Cafeína, tabaco e o álcool podem induzir ao aparecimento de zumbido precoce e aumentar o problema para quem já tem", diz José Jarjura Jorge Junior, otorrinolaringologista professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Segundo o especialista, isso ocorre porque essas substâncias são vasoconstritoras, o que leva à diminuição da irrigação do ouvido.

Por isso, também é importante beber água. Longos períodos sem ingestão de água são desfavoráveis para a saúde. "O consumo de água ajuda no fluxo sanguíneo no ouvido interno. Isso faz as células ficarem nutridas", diz Beatriz Garcia, fonoaudióloga da Starkey, empresa de tecnologia de audição.

O jejum prolongado, por mais de três horas, é outro fator que atrapalha a função auditiva. "Esse hábito pode dar sensação de pressão nas orelhas, além de zumbido e tontura", destaca Ganança.

Alguns alimentos, no entanto, contribuem para preserver a audição. "Uma alimentação rica em verduras, potássio, vitaminas C, E, A são importantes para o bom funcionamento do organismo, em geral, e também para a saúde auditiva", diz Jarjura. Veja exemplos:

Vale lembrar que, uma vez destruída a célula sensorial que capta os sons, o  processo é irreversível. Por isso, ao longa da vida, é importante manter uma alimentação saudável. "Nos primeiros sintomas de alguma alteração metabólica é preciso tomar cuidado, prevenir para que não haja lesão dessas células. Depois da lesão, não tem alimento que ajude a voltar", afirma Jarjura.