Adotar um estilo de vida saudável reduz os riscos de câncer 

- O Estado de S.Paulo

Alimentação equilibrada e a  prática de exercícios ajudam o organismo a se proteger da doença

A obesidade desregula múltiplas vias hormonais, estando associada a altos níveis de insulina, baixos níveis de adiponectina, baixos níveis de testosterona e altos níveis de citocinas inflamatórias

A obesidade desregula múltiplas vias hormonais, estando associada a altos níveis de insulina, baixos níveis de adiponectina, baixos níveis de testosterona e altos níveis de citocinas inflamatórias Foto: Pixabay

Dieta equilibrada, prática de atividades físicas e controle do peso corporal auxiliam na prevenção do câncer de mama, de próstata, de intestino, de estômago, de pulmão, entre outros de alta incidência na população mundial.

Os benefícios nutricionais dos chamados alimentos funcionais são cada vez mais conhecidos, mas, quando o assunto é prevenção de câncer, o consumo deles se torna mais importante quando  associado a um contexto mais amplo de estilo de vida saudável, que inclui prática de atividade física e controle do peso corporal. 

A Organização Mundial de Saúde (OMS), afirma que promover campanhas que estimulem as crianças a ter uma dieta equilibrada e fazer exercícios físicos é fundamental para, na fase adulta, evitar a obesidade e diminuir o risco de desenvolvimento de diversos tipos de tumores, casos de câncer colorretal (intestino e reto), rim, esôfago, mama, colo do útero, endométrio, pâncreas, fígado, estômago, vesícula, ovário, mieloma múltiplo, tireóide e meningioma. 

Outros importantes trabalhos evidenciam a estreita conexão entre hábitos saudáveis e redução de risco de câncer e  mortalidade pela doença. Dados publicados pela American Cancer Society mostram que um terço de todas as mortes por câncer nos Estados Unidos a cada ano se relacionam à dieta desequilibrada e falta de atividade física, incluindo o excesso de peso. No Brasil, segundo o INCA, observa-se que os tipos de câncer que se relacionam aos hábitos alimentares estão entre as seis primeiras causas de mortalidade pela doença.

Recomenda-se também associar a prática de corrida e caminhada a uma dieta saudável que inclua antioxidantes, dentre eles o selênio, vitamina E e licopeno

Recomenda-se também associar a prática de corrida e caminhada a uma dieta saudável que inclua antioxidantes, dentre eles o selênio, vitamina E e licopeno Foto: Pixabay

Nesse contexto, a atividade física atua na prevenção do câncer por ser um elemento que reduz  o sobrepeso ou diferentes graus de obesidade. A obesidade, por sua vez, desregula múltiplas vias hormonais, estando associada a altos níveis de insulina, baixos níveis de adiponectina, baixos níveis de testosterona e altos níveis de citocinas inflamatórias. Cada um destes fatores podem ser determinantes para a progressão do câncer.

Recomenda-se também associar a prática de corrida e caminhada a uma dieta saudável que inclua antioxidantes, dentre eles o selênio, vitamina E e licopeno. "Os antioxidantes são capazes de inibir efeitos perigosos do chamado estresse oxidativo dos tecidos, que interfere na regulação do ciclo celular, colaborando, desta forma, com o desenvolvimento do câncer", destaca o cirurgião oncologista e diretor do Núcleo de Tumores Colorretais do A.C.Camargo Cancer Center, Samuel Aguiar Junior.

Cardápio da Prevenção. Não é o simples fato de consumir tomate, por exemplo - um alimento rico em licopeno e com propriedades que ajudam a prevenir o câncer de próstata - que fará com que a doença seja prevenida. O consumo deste tipo de alimento, conhecido como funcional, pode sim ter um papel de destaque na prevenção dos tipos mais comuns de câncer quando a dieta inclui a ampla variedade desses alimentos inteligentes. 

Nesse cardápio de alimentos funcionais se destacam os cereais integrais, leguminosas (feijão, soja etc.), linhaça, brócolis, couve flor, espinafre, tomate, alho, cebola, melancia, morango, goiaba, uva, peixes marinhos, chá verde e castanhas. A ciência aponta alguns alimentos como mais ligados à prevenção de determinados tipos de câncer. 

Os alimentos que ajudam a prevenir o câncer de mama são os que contêm vitamina C e E, por conta dos radicais livres, como soja, castanhas, brócolis, couve flor, assim como o ômega 3, que pode ser encontrado em peixes como  salmão, atum e sardinha. Já no caso do mais incidente nos homens, o câncer de próstata, o mais determinante, como já foi dito, é o licopeno, encontrado, por exemplo, no tomate, molho de tomate, goiaba vermelha e melancia.   

Para a prevenção de tumores colorretais (intestino grosso e reto) por meio da alimentação, o recomendável é evitar a ingestão de alimentos gordurosos e embutidos, assim como o consumo excessivo de carne vermelha. Por sua vez, também contemplar uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes, que são fontes de fibras. 

Para a região da cabeça e pescoço, que compreende a boca, faringe, laringe e tireóide, os alimentos que auxiliam na prevenção são a abóbora e a cenoura (fontes de vitamina A), as frutas cítricas (abacaxi, acerola, maracujá e laranja), e vegetais de cor verde escura, como o brócolis. Já a dieta recomendada para auxiliar na prevenção de câncer de estômago deve privilegiar a ingestão de frutas e verduras, principalmente os alimentos fontes de vitamina C, como laranja, limão, acerola, abacaxi e evitar o alto consumo de sal, de alimentos com conservantes e de defumados. 

O consumo de determinados alimentos é um importante fator de risco para desenvolvimento de câncer de esôfago. É recomendável evitar a ingestão excessiva de alimentos em temperatura elevada, muito comum no sul do Brasil, na Argentina e no Uruguai. Além disso, a doença de refluxo pode aumentar em 70% o risco de uma pessoa desenvolver câncer de esôfago. Deve-se evitar também a ingestão de café, chá, refrigerantes, bebidas alcoólicas e alimentos com muito molho, principalmente o de tomate, que tendem a piorar os sintomas. 

A obtenção dessas propriedades, explica Samuel Aguiar Junior, é mais eficaz quando os alimentos são consumidos in natura. O consumo de suplementos multivitamínicos, por exemplo, é indicado para casos específicos, sendo recomendável haver a prescrição de um profissional especializado. 

Consultoria: A. C. Camargo Center