Hoje meu convidado é o Dr. Ricardo Nahas, coordenador do Centro de Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital 9 de Julho.

Ei, você! Você mesmo com controle remoto na mão. Você com dor nas costas de ficar sentado no sofá admirando as suas pernas inchadas. Vamos tomar uma atitude? Vamos descolar?

Imagino que seu médico já recomendou insistentemente que você faça uma atividade física regular e que isso seria ótimo para a sua saúde. O que o Doutor não sabe é que você tem que ficar com os netos, que está frio lá fora ou que está quente, que as pernas doem, que não tem roupas adequadas etc. Ou seja, desculpas para deixar de iniciar uma fase saudável da sua vida não faltam. E olha que pode ser a única dos últimos 40, 50 anos.

Algumas vezes a oportunidade bate à nossa porta, literalmente. Uma ocasião é quando a sogra vem passar uns dias em sua casa, que viram algumas  temporadas. Aí vai encontrá-lo no sofá com o controle remoto na mão e, com aquele sorrisinho nos lábios de, digamos, satisfação e aquele olhar de “eu bem que disse”. Virá em seguida a melhor atitude que você poderia tomar: Doutor, eu me convenci de que preciso sair de casa. Como fazer?

Bem, o primeiro passo é a educação, a instrução. O porque fazer para fazer sempre. Por que o Doutor indica esses exercícios rotineiros? Porque a sogra chegou? Moda? Claro que não. Vamos conhecer algumas das razões principais para praticar exercícios regulares.

Prolongar a vida

A principal delas é o prolongamento da vida. A literatura médica é farta em demonstrar a relação que existe entre a morte e o número de horas que passamos sentados durante a vida. Alguns estudos demonstram que podemos encurtar até 5 anos de nossa existência dependendo do tempo que permanecemos parados, sentados, ao longo dos anos.

E como a cadeira ou o amado sofá, que tem o formato do seu corpo, pode matar sem cair na minha cabeça? Simples. Fazem parte do envenenamento ocasionado pelas doenças crônicas intimamente relacionadas ao sedentarismo. Quais? Sei que já foi alertado sobre isso, mas não custa repetir. As principais: diabetes, pressão alta, artrites, ácido úrico e o colesterol (ruim) altos, derrame cerebral, infarto do coração, ou seja, doenças degenerativas, silenciosas na maioria das vezes, mas que se relacionam ao estilo de vida.

Os exercícios regulares trazem outros tantos benefícios aos praticantes: melhora do humor (olha a sogra aí), melhora do sono, mais disposição para trabalhos e lazer, para ajudar os filhos e ainda passear com os netos, fazer planos para o futuro que antes era restrito ao percurso cama-sofá (com um banho no meio se não estiver frio demais) e um novo como objeto de desejo, mas que agora pode ser construir um sofá novo, disposição e força que você não tinha até há pouco tempo atrás.

Tão importante quanto sair do sofá é saber porque devemos deixar nosso amigo de tantas jornadas. Entender esse processo é meio caminho para entender que o exercício deve ser regular, sem interrupções prolongadas e praticado até os 99 anos.

Embora partamos do princípio que você conta com liberação médica, a visita regular faz parte principalmente porque as progressões ocorrerão, o grau de esforço aumentará não só pela necessidade, mas porque sentirá naturalmente que isso é necessário.

Na próxima coluna, vamos mostrar como você vai se livrar do sofá sem precisar sair de casa, em um primeiro momento. Pelo contrário – seu amigo sofá será importante nessa primeira fase.

Meu caro leitor, vamos dar a oportunidade não só de se despedir da sua sogra, mas também carregar as malas? Viva mais e melhor. Até lá!