Em 15 de junho último foi celebrado o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. Criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa, a data tem por objetivo criar uma consciência mundial, social e política, da existência da violência contra os idosos, além de disseminar a ideia de não aceitar qualquer tipo de abuso – social, financeiro, psicológico, físico ou emocional –  como normal.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou na semana passada um relatório bastante preocupante em que mostra que 1 em cada 6 idosos sofrem algum tipo de violência. Isso significa dizer mais 141 milhões de pessoas no mundo.

Se a estimativa da OMS é que, em 2050, o número de idosos dobre para 2 milhões e se a proporção de vítimas continuar como atualmente, os idosos afetados por abusos ou violência pode alcançar 320 milhões até lá.

Este é um contingente muito grande de pessoas, certo? Mas de que forma eu e você podemos contribuir para que este número não cresça?

Primeiro ficando de olho nas pessoas que conhecemos – sejam da família ou não – para que entendam que qualquer abuso contra idosos é crime e deve ser banido. Mesmo algumas simples atitudes como reclamar com o idoso porque está andando devagar, porque esqueceu algum pertence em algum local ou porque simplesmente não lembra de algo.

A segunda atitude está em nós mesmos. Não deixe que nada e nem ninguém o faça se sentir discriminado, diminuído ou deixado para escanteio. Entendo que, muitas vezes, a violência surge de pessoas queridas, mas também estas precisam aprender que tudo tem um limite e que a pessoa idosa merece respeito.

Alcançar certa idade não significa um problema, mas uma bênção. Significa experiência, maturidade e muita bagagem acumulada que pode ser compartilhada e reaproveitada. Faça com que este dia não fique esquecido e seja lembrado sempre. Viva mais e melhor.