Uma pesquisa realizada pelo Instituto QualiBest, a pedido de um laboratório farmacêutico, mostrou que 90% dos entrevistados têm medo de envelhecer. Os principais temores são doenças e limitações físicas, solidão e dificuldades de memória. Foram entrevistadas quase mil pessoas entre 18 e 61 anos.

Envelhecer é algo que assusta. Não raro recebo pessoas em meu consultório querendo fórmulas, receitas e dicas para parar ou retardar o envelhecimento, como se isso fosse realmente possível. Infelizmente, não é.

Mas afinal de contas, o que é envelhecer? É ter cabelos brancos? Ter rugas no rosto? Ou significa maturidade, experiência de vida, maior vivência?

Já disse uma vez aqui neste blog que, infelizmente, vivemos em uma sociedade onde o velho tem uma conotação negativa. Não tem. Ser mais velho ou ter mais idade significa apenas que temos uma distância maior da data de nosso nascimento para os dias atuais. Só isso.

Penso que, se cuidamos de nossa saúde física e mental, alimentação, finanças e do nosso convívio social, muitos destes temores mostrados na pesquisa poderão ser minimizados.  Claro que é natural adoecer quando ficamos mais velhos, mas não é raro vermos pessoas gozando de plena saúde aos 80 ou 90 anos.

Adotar um estilo de vida saudável nem sempre é fácil.  Atire a primeira pedra quem nunca sentiu preguiça para iniciar uma atividade física, mas também é fato que, ao começar a praticá-la, os benefícios e disposição aumentam muito.

Talvez a questão financeira seja um ponto de insatisfação, insegurança ou temor. Mas, novamente o equilíbrio deve permear as decisões com o dinheiro e, assim, teremos uma vida melhor, sem grandes privações.

Para a memória, que tal mudar a rotina para “treinar” nosso cérebro. Vale tudo: modificar os caminhos para ir aos mesmos lugares de sempre, palavra cruzada, fazer tricô, ajudar os netos nas atividades da escola, enfim ocupe sua cabeça.

Outra preocupação é com a solidão. Muitos, ao se aposentar, perdem os amigos, o convívio com outras pessoas além dos familiares. Eu sempre digo para os meus pacientes: façam viagens, tenham amigos mais jovens e pratiquem atividades em grupo. É prazeroso. Seja aberto às novas amizades e se permita ser feliz com pouco. Isso vai atrair ainda mais pessoas para perto de você, pois todos querem conviver com pessoas alegres e de bem com a vida. Independente da idade. Viva mais e melhor.