Hoje Hoje o meu convidado é o Dr. Ricardo Nahas, coordenador do Centro de Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital 9 de Julho.

O sedentarismo é sem dúvida alguma uma das piores heranças da modernidade e se agrava principalmente nas grandes cidades onde a população passa horas  sentada no trabalho, no carro, no ônibus e principalmente em casa, durante seu lazer.

A preguiça e a correria do dia a dia cheio de compromissos sociais e de trabalho e os deslocamentos que podem durar até horas, rouba das pessoas a chance de se exercitarem em uma academia, parques ou mesmo o salão com aparelhos de ginástica do prédio onde moram.

O aparecimento de doenças como a obesidade, hipertensão arterial, diabetes, e outras ligadas ao colesterol elevado são a triste consequência naqueles que insistem em ver a vida passar sentados, mesmo que confortavelmente.

Felizmente, nem tudo está perdido. É possível ter uma vida mais ativa no dia a dia e se movimentar no trabalho e nas horas de lazer.

Sempre indico para os meus pacientes a atividade física regular, pelo menos três vezes por semana para combater essa pouca ou falta de atividade, baseada em uma avaliação prévia e com supervisão de um profissional. Exercícios físicos programados mantém o metabolismo melhor preparado para trabalhar os nutrientes que ingerimos, diminui a sensação de fome com melhor controle de peso, e garante disposição extra para o trabalho e lazer.

Se isso não for possível, transmito algumas dicas simples. Descer do ônibus dois ou três pontos antes ou deixar o carro na garagem duas, três vezes por semana vão obrigar o sedentário a deixar sua zona de conforto e iniciar caminhadas regulares.

Para quem mora ou trabalha em prédios, descer e subir escadas na mudança de andar, também são alternativas. Comece com dois lances e a cada duas semanas aumente um andar. Só cuidado ao descer as escadas, o que parece mais atraente. Movimentos errados podem levar a dores nos joelhos.

Nos finais de semana, esqueça o carro. Vá a pé à padaria, ao supermercado, à feira ou a aquele restaurante costumeiro. Além da atividade, você vai ter a satisfação de observar lugares e pessoas que jamais veria se estivesse dentro de um automóvel.

Convide amigos e parentes a fazer parte das caminhadas. Todas as atividades em grupo são mais prazerosas e garantem doses extras de felicidade. Para quem já é avô, leve seu neto para andar de bicicleta, patins ou skate. Arrisque-se (sempre com moderação). Você vai experimentar voltar a ser criança pelo menos por alguns momentos.

Ao seguir essas recomendações, perceba o prazer físico e mental de deixar o sedentarismo e se candidate a uma saúde cardíaca de ferro, eu garanto. E, assim que a consciência dos benefícios o tornar disposto a aumentar a quantidade de trabalho, procure a orientação de um médico, não se esqueça, e o faça de maneira programada e segura.

Movimentar-se também é uma forma de viver mais e melhor.