Muita gente confunde e associa depressão com tristeza. São coisas completamente diferentes. Tristeza é um estado de espírito, que pode ser uma fase ou mesmo um momento por conta de um acontecimento pontual e passageiro. Não é raro ouvir em meu consultório alguns pacientes tristes com problemas familiares, perda de amigos ou entes queridos ou até mesmo com a situação do País.

Depressão já é outra história. Estar depressivo ou ser depressivo significa que a pessoa tem uma doença, séria e que precisa de tratamento. A melhor forma de diferenciar uma da outra é o período pelo qual a pessoa está apática, sem vontade de fazer nada, sem interesse por coisas que outrora a satisfazia, sem brilho no olhar.

O hipotiroidismo (queda na produção dos hormônios T3 e T4) e a anemia são doenças que também podem ser confundidas com depressão. Desaceleração dos batimentos cardíacos, intestino preso, falhas de memória, cansaço excessivo, dores musculares, pele seca, queda de cabelo, ganho de peso e aumento de colesterol no sangue estão entre os sintomas do hipotieroidismo. Já a anemia, que é a falta de ferro, zinco, vitamina B12 e proteínas, pode causar fadiga, falta de apetite, menor disposição e apatia.

Então como fazer para diferenciar tristeza da depressão? Primeiro que tristeza faz parte da vida. As vezes estamos felizes e, às vezes, não. Estamos tristes. Mas isso não nos impede de realizar tarefas, passear, sair de casa ou até mesmo conviver com outras pessoas. A depressão pode, em muitos casos, ser incapacitante a ponto de a pessoa não conseguir até mesmo tomar banho.

A única maneira de sabermos, com certeza, o que é uma e o que é outra é procurar ajuda de um especialista. Vá ao médico, ele poderá pedir alguns exames e dar o diagnóstico. Mas não esqueça, se for apenas tristeza, o melhor da vida é sorrir. Viva mais e melhor.