Está aberto oficialmente o inverno. E, com ele, a fome e a temporada de comidas como queijos, fondue, chocolate quente e outras guloseimas. Fora que o clima fica ainda mais propício para degustarmos um bom vinho.

Viver e aproveitar momentos incríveis. Mas, com equilíbrio, evitar perder a dieta e o shape duramente conquistado, em geral com muita malhação e alimentação saudável, nos meses anteriores.

Entrevistamos a conceituada nutricionista Dania Sánhez Flores para saber qual a melhor estratégia a ser adotada durante o inverno.

 

1) Por qual razão temos mais fome no inverno?
Dania – Durante o inverno, o apetite aumenta porque o gasto energético é maior. Isso acontece porque, devido ao frio, o organismo se esforça mais para manter a temperatura do corpo normal. Alguns especialistas afirmam que nesta época acontece uma diminuição na produção de serotonina, um neurotransmissor que promove a sensação de bem-estar. Para suprir esta sensação de tristeza e desânimo, a maioria acaba compensando com os alimentos. Com esse aumento da fome, as pessoas ficam propensas a comer alimentos ricos em gorduras e açúcares, (fondue, chocolate quente e outros ) o que pode acarretar no aumento de peso indesejável, ou casos mais sérios, problemas de saúde como o aumento do colesterol e triglicérides.
2) O que fazer para não engordar e jogar fora a resultado da dieta duramente conquistado nos meses anteriores ao frio?
Dania – Continuar com a rotina de treinos e de uma alimentação equilibrada, e que as “escapadas” da dieta, sejam excepções e não regras.
3) Quais alimentos podemos consumir para driblar a compulsão por doces?
Dania – • Procure usar carboidratos complexos (integrais) com menor índice glicêmico e que possuam fibras.
• Durante as refeições, não misture dois tipos de carboidratos. Para ajudar a diminuir a velocidade com que entra a glicose na sua circulação, adicione fontes de fibras, como sementes de abóbora, girassol, linhaça, gergelim ou chia e temperos como canela, pimenta para diminuir o impacto do carboidrato no organismo
• Nos lanches ou nas refeições, adicione alguma fonte de proteína para a absorção do carboidrato ser mais lenta e você não entrar no ciclo vicioso.
• Evite o consumo noturno de carboidratos simples como arroz branco, massas e pães. Prefira fontes de proteína combinadas a vegetais. Se for comer carboidrato, que seja um tubérculo como batata doce ou arroz integral.
• Consuma alimentos ricos em fibras, vegetais, folhas e frutas com a casca. Lembre-se: é na casca que a maior parte das fibras está!
• Nos lanches intermediários, utilize sementes oleaginosas como amêndoas, castanhas ou nozes, aveia.
4) Em substituição à dupla queijos e vinhos, tão badalada no inverno, o que podemos escolher?
Dania – Alimentos quentes como sopas, risotos de arroz negro ou quinoa, combinados com cogumelos ou carnes magras, escondidinhos de mandioca, ou batatas, inhame com carnes desfiadas, tofu e cogumelos, peixadas, são exemplos de refeições que podem ajudam a driblar o frio, sem comprometer sua rotina alimentar.
5) Por qual razão em algumas épocas do ano parece ser mais difícil seguir a dieta, independente se está frio ou calor?
Dania – Acredito que o calendário não tenha influencia diretamente na adesão à dieta, o que pode interferir são as fases pela qual a pessoa esteja passando. Nas férias, por exemplo, pode acontecer de não estarmos dispostos a abrir mão de determinados alimentos ou costumes, ou se a pessoa estiver passando por um período de stress no trabalho/família, isso também  pode desencadear um comportamento não muito favorável para a dieta. Por isso, devemos sempre pensar em primeiro cuidar do nosso bem-estar mental/emocional, para assim dar continuidade à rotina em busca de mais saúde e resultados estéticos, que uma boa alimentação e exercício físico proporcionam.
6) Como fazer uma dieta e mudar os hábitos para toda a vida?
Dania – Encarando como parte da nossa rotina, como algo necessário e prazeroso.
Até semana que vem!