O Brasil perdeu a Copa, mas você ganhou uns quilinhos extras durante os 30 dias do Mundial de futebol? Calma.  Essa é a situação de muitas de nós. Nos corredores das academias, no trabalho, no salão de beleza…

 

Nove entre dez mulheres têm reclamado que o ponteiro da balança subiu durante a Copa do Mundo. Mas e agora? O que fazer?

 

Esqueça a idéia de sair correndo feito maluca para minimizar o prejuízo ou querer se alimentar apenas de alface por uma semana.

 

Dietas radicais não adiantam nada. E ainda prejudicam a saúde.  Hoje, quem nos ajuda a “voltar à linha” é a nutricionista Cintia Azeredo, do Vita Check-Up Center, do Rio de Janeiro.

 

“Agora é hora de controlar a quantidade de gordura para não sobrecarregar ainda mais o fígado, que viu muito mais álcool nesses dias de jogos”, afirma.

 

Segundo Cintia, é indicado beber bastante água e água de coco, que ajuda a repor o magnésio, sódio e potássio. “A cerveja em excesso leva à desidratação. A água de coco ajuda a repor os minerais perdidos.”

 

Outra dica é controlar o consumo de cafeína. “Depois que se bebe muito é bom evitar o café. A cafeína leva à desidratação”, ensina.

 

Cintia enfatiza que não adianta aderir às dietas radicais: “Exagerou, já foi. A melhor coisa é voltar para a alimentação regrada do dia a dia. A besteira já foi feita. Nada de sair correndo achando que vai queimar tudo o que consumiu. Isso não adianta.”

 

A nutricionista sugere o consumo de frutas, verduras e legumes, além de abacate. “Apesar de ser rico em gordura, ele tem a chamada gordura boa”, diz.

 

E para descansar o fígado do torcedor  ela recomenda ainda sucos ricos em vitamina C. “Aqui vale uma boa limonada e sucos de caju, e goiaba.”  E foco meninas. Vamos evitar bebida e frituras. Pelo menos até a Copa de 2018.