lump-sugar-549096_640

 

Açúcar ou gordura. Qual dos dois é o grande vilão da saúde e da busca por uma alimentação saudável? Na entrevista a seguir, a médica Alice Amaral, de Minas, especializada em Nutrologia e Medicina do Exercício e Esporte pela Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) e Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte, fala sobre o tema e explica a função de cada um no organismo.

Boa leitura!

 

Sabemos que juntos a gordura e o açúcar fazem mal à saúde. E, separadamente, qual dos dois é o grande vilão?

Alice Amaral – O açúcar é o grande vilão para a nossa saúde. Estudos comprovam que o açúcar pode causar doenças cardiovasculares, esteatose hepática (gordura no fígado), diabetes tipo 2, cárie, entre outros males. A diminuição do consumo de açúcar colabora para a redução do colesterol LDL, implicado nas doenças do coração, além de reduzir os triglicérides (gordura armazenada no corpo) e pressão arterial, também o metabolismo apresenta melhoria. A orientação para diminuir o consumo de gordura saturada provocou um aumento no açúcar adicionado em grande parte dos produtos industrializados, mas o colesterol não diminuiu na média da população. A gordura é fundamental para o funcionamento do nosso organismo. É uma fonte de energia e também atua no processo de crescimento e restauração celular, além de ser essencial no metabolismo das vitaminas A, D, E e K. Vale lembrar que existem também gorduras maléficas ao nosso organismo, como é o caso da gordura trans (hidrogenação de óleos vegetais), muito utilizada em produtos industrializados.

 

É verdade que é o açúcar no sangue que  causa microfissuras nas parede das artérias e que acabam servindo depois de espaço para depósito de colesterol? Ou seja, primeiro o açúcar danifica as artérias e só depois que o colesterol entra?

Alice Amaral – Quando se eleva o nível de açúcar no sangue, o pâncreas libera insulina, que vai converter a glicose (açúcar) em glicogênio para torna-lo disponível para o nosso organismo depois utilizar como energia. Mas, se as reservas de glicogênio já estão cheias e você consome ainda mais açúcar, a insulina vai converter o excesso em tecido gorduroso (triglicerídeo).O excesso de açúcar causa uma resistência insulínica, que é quando o organismo não consegue usar a insulina de maneira apropriada. O excesso de açúcar vai causar um processo inflamatório na camada interna dos vasos sanguíneos, e o organismo numa tentativa de reparo dessas lesões reage e começa a ter um acumulo de colesterol LDL, formando placas ateromatosas.

 

As polêmicas dietas de proteína animal, ricas em gordura, causariam problema em uma pessoa que consumisse o mínimo de açúcar?

Alice Amaral – O recomendado é evitar a mistura de proteínas e carboidratos na mesma refeição, visto que na digestão no estômago são demandados sucos gástricos ácidos e alcalinos. Essa mistura dificulta a digestão, e pode ocasionar indigestão e azia estomacal. As proteínas são essenciais para o nosso organismo e existem várias fontes delas. E, cada uma contém diferentes grupos de aminoácidos. Alguns tipos de aminoácidos são fundamentais para o nosso corpo e apenas podem ser obtidos através dos alimentos. A dieta rica em proteínas auxilia no controle do peso e na obtenção de massa magra. Porém, é necessário tomar cuidado com as fontes de proteína animal, já que esses alimentos potencialmente colaboram no aumento da acidez no nosso corpo. Para alguns cientistas, isso pode aumentar o risco de diabetes e outros males. Pense nos tipos e nas quantidades de proteínas a serem consumidas.

 

No caso de o açúcar ser o grande vilão, por qual razão os adoçantes não salvadores da saúde?

Alice Amaral – Inicialmente é preciso lembrar que os adoçantes, ou edulcorantes, tão presentes no dia-a-dia, são substâncias que conferem o sabor adocicado aos alimentos. Estão disponíveis tanto os adoçantes naturais quanto os artificiais. No primeiro grupo, por exemplo, temos o sorbitol, stévia, agave e a frutose. Já no segundo grupo, o aspartame, ciclamato, sacarina e sucralose. Um dos pontos controversos no uso continuado dos adoçantes é o ganho de peso, pois o adoçante atua no sistema nervoso causando a sensação de insaciedade, ou seja, acabamos por consumir mais alimentos.Outro ponto a considerar é que precisamos estudar com maior profundidade os efeitos no organismo, no longo prazo, do uso continuado dos adoçantes. Talvez uma opção fosse o uso do açúcar de coco, que apresenta baixo índice glicêmico, além de ser rico em minerais (magnésio, zinco, potássio e ferro) e vitaminas do complexo B, e não conter conservantes.

 

Até semana que vem!