O dono de uma marca de roupas femininas chega de surpresa a uma de suas lojas em Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro, e faz o seguinte comentário a uma de suas funcionárias, que está grávida: “Em breve vou mandar todas mulheres embora e contratar somente gays, que não engravidam.” O episódio veio à tona porque o marido da moça grávida, Diogo Saddock, publicou a história em sua página do Facebook.

Maria Filó

 

O post foi compartilhado, até o momento em que escrevo este post, 1.470 vezes. Mariana Duarte, mulher de Diogo, confirmou a história nos comentários do post. “Eu, dentro do poço da minha inocência, na hora, pensei que ele tinha falado isso sem notar que eu estou grávida. Mas depois fui caindo na real que ele falou isso pra me afetar mesmo. Parece brincadeira (de mal gosto), mas não é”, analisou. A Maria Filó respondeu à grita das redes sociais quase 24 horas depois do post de Diogo. Não pediu desculpas, inicialmente. Foi tudo uma brincadeira, gente. “Na intenção de criar um clima descontraído e no tom brincalhão pelo qual é conhecido na empresa, nosso diretor Alberto Osório acabou fazendo um comentário que, fora do contexto, foi inadequado.” Ou seja, dentro do contexto, não foi?

Maria Filó 2

A reação nas redes sociais foi imediata. Na página da Maria Filó no Facebook, que tem cerca de 600 mil curtidas, as clientes comentam o assunto: E lamentaram a postura da loja:

Maria Filó 4

Ficou feio, Maria Filó. Muito, muito feio. Já não gostava de suas roupas. Agora, também não gosto de vocês.

Leia mais: Fulana é uma péssima mãe. Fulano é um paizão.

Leia também: Parem de tocar Anitta nas festas de criança. Apenas parem

Maria Filó 3