"A Senhora Perfeitinha" com os filhos Taly e Beny.

“A Senhora Perfeitinha” com os filhos Taly e Beny.

Nurit, 35 anos, poderia ser mais uma mãe que adora mostrar que a vida depois dos filhos é perfeita e plena. Mas, com o nascimento da primogênita, descobriu que a chegada das crianças não é tão fácil quanto se pinta por aí. “Saí da maternidade e tinha vontade de chorar a cada dez minutos, estava mal-humorada pela falta de sono e muito insegura. Como todas as mães de comerciais de tv sorriam o dia inteiro, achava que devia ter algo muito errado comigo”, lembra.

Outra coisa que a deixou surpresa quando se tornou mãe foi a compulsão que algumas pessoas, muitas delas que nem são da família, têm em ensinar uma mãe a criar seus filhos. “Tenho aversão a opiniões não solicitadas”, brinca. Com tantas questões surgindo decidiu escrever um blog materno que batizou de “A Senhora Perfeitinha”, uma sátira àquelas mães de “olhar milimetricamente calculado e sorriso inerte. Com suas diversas qualidades, mas que não dentre elas a naturalidade”, segundo o texto que deu nome ao blog.

Nurit Lasijah Gil, 34 anos, paulista com nome difícil que ela vive a soletrar “se escreve assim, ó, eneuerreitê” agora também é mãe de Beny, 3 anos, e deu mais um passo escrevendo um livro com suas aventuras maternas. “A Senhora Perfeitinha e outros textos” será lançado neste sábado, 28/02, na Livraria da Vila, em São Paulo.

Nurit tem prazer em transformar as situações tragicômicas que toda mãe enfrenta em textos divertidos e de leitura rápida. E, ao contrário das outras mães que escrevem sobre a vida com os filhos em primeira pessoa (como eu!), ela troca nomes, muda lugares, inclui dramas do senso comum mostrando que a paixão pela arte de escrever é quase tão grande quanto a pelos filhos. “Os textos em terceira pessoa têm vantagens: além das minhas vivências pessoais, incluo histórias alheias nas minhas crônicas”, confessa. “Em uma delas (Brie com mel) inspirei-me numa conhecida e achei que tivesse disfarçado bem. Publiquei e no dia seguinte ela me encontrou e perguntou: “aquela do texto era eu, né?”, lembra. (Spolier da crônica: Brie com mel conta a história de um casal cansado pelas demandas do dia-a-dia. A mulher, à beira de uma DR, questiona o porquê do marido não rir mais das suas histórias e piadas que antes do nascimento dos filhos ele considerava hilárias).

A escritora conta que partiu da premissa (errada) de que seria uma mãe perfeita: “Achava que meus filhos não fariam escândalo no meio do supermercado e que comeriam legumes em todas as refeições”, lembra. “Mas as minhas convicções foram por água abaixo. Hoje, quando vejo uma mãe em apuros, tenho vontade de abraçá-la e dizer: está tudo bem, força, se quiser sentar para tomar algumas doses etílicas antes de ter que encarnar a super nanny em público, estou à disposição”, ri. E se engana quem pensa que o processo de descobrir que a perfeição não existe foi doloroso. Nurit conta que foi libertador. “A mulher relativamente focada que habitava meu corpo antes da maternidade foi embora, levando minha cabeça livre de preocupações, meu sono em dia, minha classe e etiqueta. E sobrou eu, assim como estou hoje, infinitamente mais feliz”, conclui.

“A Senhora perfeitinha e outros textos”

Data de lançamento: 28/02

Local: Livraria da Vila

Endereço: Alameda Lorena, 1.731. Jardim Paulista

Horário: 15h às 18h

As mamães de plantão podem ficar sossegadas, pois no lançamento haverá atividades para as crianças com “contação” de histórias com Jane Fucs.

——————————————————————————————————————————————

Leia mais: Casal gay conta a história de adoção do filho, rejeitado por três casais homossexuais: “Acharam ele muito feio e negro demais”.

Curta o “Ser mãe é padecer na internet” no Facebook:https://www.facebook.com/padecernainternet

Siga Rita Lisauskas no Twitter: https://twitter.com/RitaLisauskas

No Instagram: http://instagram.com/ritalisauskas