Imagine, John. Hoje vai chover imagem. Artes plásticas virtuais. Cômicas ou dramáticas, as emoções são bem reais. Tem almas dubladas clonadas exibidas nos canais. Tem camadas de gargalhadas e ais. Tem medos, contratempos, mundo cult, artista pop. Dedos coloridos manchados de photoshop. Pode? Tem volta ao mundo em 365 dias. Tem (des)contos da carochinha. Tem mil e uma noites de orgias. Tem sexo, literatura, música e poesia. Tem o talento e a expo da Alessandra. Tem o canto e o encanto de Rhaissa. Tem a festa da Casa Amarela. Tem a alegria do Sarau da Maria. Tem a FLIMP por dois dias, dando voz e vez à periferia. Tem o Encontro de Utopias, o sarau cujo nome já me inspira. Escolha, saia da bolha e divirta-se. Dispa-se de tevê e vista-se de magia. Invista em você. Se liga!  

 

… … … … … … …

ALESSANDRA DA MATA

… … … … … … …

 

Alessandra é uma antenada performer. Mas, mesmo sendo criatura da era digital, antes de tudo, ela é uma artista popular. Conhecida por ‘Alê’, sua formação é sua ação, fruto de deleitadas leituras e sensível observação. Durante 365 dias ela nos guiou por salões artísticos imaginários numa exposição virtual viva e instigante. Nos levou pela mão, pelo olhar, nos cutucou os sentidos, o cérebro, a libido. Todas as manhãs, um autorretrato dela parodiava algum artista, criticava ou homenageava um ícone da cultura. O mote podia ser um quadro, uma ilustração, um livro ou uma data que precisasse ser lembrada. A cada dia, uma nova cria em sua ilustre galeria. Insólitas imagens de notáveis personagens se misturando a ela (e a nós) agitando os tons banais das telas mesmificadas do facebook. Quem somos, quem podemos ser, o que significamos. Alessandra multiplicada, nos fulminava com seu olhar plural. Por 365 dias ininterruptos, ela nos ofertou suas selfies com conteúdo. Dia após dia, nos ensinou diversidade. Durante um ano ela sentiu, pensou, criou e executou; se pintou, travestiu e interpretou; fotografou, recortou e photoshopou. Em sua salada de signos, o conflito entre os mitos caídos/ungidos, a dor consentida, a emoção assimilada, as muitas artes conectadas para por no ar uma ideia, um objeto, uma foto diária. Essa heroica batalha resultou também numa bela exposição física, que ela realizou em São Paulo e levou a alguns lugares do interior. Quando tudo acabou, seu público, bem-acostumado à sua criatividade cotidiana, sentiu-se órfão e quase morreu de saudade: choveram posts de ‘quero-mais’ na sua timeline. Mas ela tinha que seguir em frente e foi saltar outros abismos, correr outros riscos em busca de outro sol. À Alê, que põe seu talento a serviço da inovação, este blog agradece e oferece lar. Sua arte diverte, comove e faz pensar. Alê é água pura na secura chula desse infomar. 

 

alecabealerai

alerosa

alemonstro

aleborbo

alejapa

aleflor

alegata

alever

alerata

 

Alessandra da Mata é jornalista. Já fez teatro e atuou como cantora na quase circense banda Cia de Não-Músicos Profissionais, ao lado deste músico/palhaço que vos ‘fala’. Alê também publica crônicas e fotografa profissionalmente. Tem paixão por Leminski, Itamar Assumpção e acompanha fascinada o trabalho de muitos fotógrafos e artistas gráficos. Criou suas 365 selfies a partir da obra de ilustradores como Malika Favre, Alice Meichi Li, Camilo Meneguetti, Ruddy Nappi, Jared Joslin, Tara MacPherson, Daniela Uhlig, Mucha e Rodchenko

De pintores como Tarsila do Amaral, Diego Rivera, Tamara De Lempicka e Magritte

De cartunistas como Angeli, Maitena, Miguel Paiva e Milo Manara

De personalidades como David Bowie, Siouxie in The Banshes, Frida Kahlo, Ana Cristina César, Cindy Sherman e Pagu

E de grafiteiros como Bansky e Keith Haring, além de se utilizar de personagens como Saci, Chapeuzinho Vermelho, Iemanjá, Persepólis, Penélope Charmosa, Ciclope, Frankenstein e Coringa, entre muitos outros.

Abaixo, lado a lado com a imagem-mãe, mais algumas de suas 365 personificações. Essa exposição foi uma inesquecível viagem de um ano inteiro. Viaje um pouco você também:

 

ale7ale4ale11

ale25

ale24ale14

ALEFRA

ALELIA

ALELIZAALEGR

ALEFALEKLI

ALER

ALEMER

ale34ALPB

ALELIC

ALERUSS

ALEB

ale44

ALEKLI

ale712

ALEMA

ALEOO

ALEA

ALEF

ALEDA

ALEC

ALEPAGU

ALEREN

ALEELLA

ALEMA

ALED

ale22

ALECABE

ale16

ale12

ALBO

ale21

ale13

ALEW

ALEOO

ALEK

ale26

ALES

ALEAPO

ALEDAN

alemar

 

À época de sua exposição Recorte 365, escrevi:

Mas o que é que essa tal de Alê faz, afinal?
Como chamá-la, rotulá-la, defini-la?
Ela ‘são’ tantas artistas!

É fotografia, claro. Mas é pintura também.
E tem todo um lance de teatro ali, nos gestos e expressões
na assimilação do universo alheio.
Ela se põe no lugar dos que amam. Dos que sonham.
De quem sofre e anseia.
De quem passeia inocente.

Tem muita gente pulsando em sua mente.

E ela é performática: inventa personagens e mundos.
e nos leva através deles.
Errática, nos abandona de repente: livres com o peso do pensar.
E no dia seguinte já é outra.

E joga literatura em nossa rotina dura.
E dá-lhe poesia em nossa existência fria.
E atira flashs de sua luz na sombra dos nossos dias.
E capta o sopro, o solo de sax, o último suspiro da vida que passa.
O instante que não descansa
que nunca cessa de passar.

No Facebook, por 365 dias, seus seguidores viveram com ela o dia-a-dia de sua vida de artista.
Imprevisível… Colorida, cinza, pb.
Seus amores contagiosos, seus humores tristes.
A alma transparente borrando a maquiagem de dor.
A lágrima carregada de afetos, desejos e amor.
E de dúvidas…
O que virá amanhã?

E lá vinha ela nova em folha de novo.
Cômica, irônica: estática, no sofá, a espera da mudança.
Seus olhos cheios de esperança encarando a câmera muda.
Saltando dos livros, das telas, do computador
ganhando animação.
Se jogando das janelas abertas da imaginação
sem rede de segurança.
Só com suas asas, sua ânsia, seus risos e gemidos.
Planando sobre grafismos incompreensíveis, por ela traduzidos.
Sentimentos recortados, colagens de impressões.
Razões complexas e inéditas sensações pondo ao avesso nossa vã compreensão:
O que ela quis dizer com tudo isso?

não sei…

Só sei que bate forte
e transtorna.
Só sei que inquieta
e transforma.

A arte ilude, sim, e não há vida sem ilusão.

É com ela que a Alê nos desperta.
Todos os dias nos banha, nos revela
e nos liberta.

 

 

… … … … … … …

RHAISSA BITTAR

… … … … … … …

 

Domingo – 15/maio – 19h … Eu já falei dessa brilhante cantora e dos seus dois cds (Voilà e Matéria Estelar) neste blog há algum tempo atrás. Se você não leu, entra aqui pra ver. Cercada por músicos excelentes (incluindo o grande compositor Daniel Galli), Rhaissa Bittar é uma jovem supertalentosa e dona de um repertório que não se ouve por aí: divertido, com conteúdo, sofisticado e popular. Dá pra juntar essas qualidades todas em simples canções? Claro que dá. Quando se cria a mando da emoção e não dos valores do mercado, dá. Rhaissa é teatral: sabe ser cômica ou dramática, dependendo do que pede a sua canção. Olha aí eu de novo falando da naturalidade que flui do coração. O nome disso é arte. Rhaissa é uma baita artista. Vai lá no show pra conferir. (E é de graça! Pode isso, Arnaldo?)

 

 

… … … … … … …

SARAU DA MARIA

… … … … … … …

 

Sábado – 14/maio – 19h30Mais uma edição do Sarau da Maria, que há 3 anos movimenta a vida cultural da Vila Maria e adjacências. No pocket-show de abertura, o som da viola e do violão de 12 cordas de Betto Ponciano (vídeo abaixo), cantor e instrumentista com influências de música caipira, rock rural, folk e canções tipicamente mineiras.

O músico e escritor Tiago Bode lança seu livro Nu Paralelo (vídeo acima) e J.CordeirovichEduardo Monga são os outros poetas convidados. Além do palco aberto, a parte musical traz ainda o excelente cantor e compositor Adolar Marin e a ótima dupla Bruno Brasil & Fernando Diniz, com seu Projeto Contraponto (vídeo abaixo). Bruno e Fernando também fazem show em Pinheiros, no domingo (ver mais abaixo).

O Sarau da Maria acontece normalmente no último sábado dos meses ímpares. Nesse mês, excepcionalmente, foi antecipado devido ao feriado e à Virada Cultural. É no Clube Vila Maria, com entrada a R$8.

 

 

… … … … … … …

AGENDA

… … … … … … …

 

Quinta e Sexta-feira – 12 e 13/maio – das 8h às 18h …  FLIMP – Feira Literária Independente, Marginal e Periférica … Vários saraus na programação da FLIMP. Dia 12, se apresentam Versos em Versos, Filhos de Ururaí, Quinta em Movimento, Sarau do Pira, Sarau AlternativoSarau do Binho, Raizarte, A Plenos Pulmões e Encontro de Utopias. Dia 13, os coletivos Terça Afro, Sarauzim (Mesquiteiros), Sarau da Praga, Sarau do Burro, Bodega do Brasil, Perifatividade, Mjiba e Pretas Peri. O evento pretende aproximar os professores e funcionários da rede municipal dos saraus e da literatura periférica. Haverá debates sobre questões literárias ligadas à experiência dos saraus na cidade.

 

Quinta e Sexta-feira – 12 e 13/maio – das 8h às 18h … Feira Literária na Galeria Olido … Também na FLIMP, a Editora Essencial estará com seus escritores presentes através de poesias, contos, crônicas e romances contemporâneos. Visões da realidade e do fantástico.

 

Foto da capa

 Quinta-feira – 12/maio – 17h … Sarau Encontro de Utopias na FLIMP … Ainda no mesmo evento, o sarau organizado por Regina Tieko (na foto) participa com Banhu Maria, Aloysio Letra, Cleusa Santo, Vila Morena, Mari Ananias, Cleyton Mendes e Dionízio de Apodi. Haverá palco aberto.

 

Quinta-feira – 12/maio – 18h … Lançamento do livro ‘O Arranjador de Palavras’ … Sarau lítero-musical de lançamento do novo livro de J. Cordeirovich. Apresentando Vladinsk ao violão (com convidados especiais) e um repertório de composições inéditas. No Espaço Scortecci.

 

Quinta-feira – 12/maio – 18h … EVOÉ – Sarau de Poesias e Outros Excessos … Evoé: grito de evocação proferido pelas bacantes, sacerdotisas que cultuavam Baco. O evento literário deste mês é uma celebração dos excessos e da poesia paulista. Com Daniel Ratto, Davi Kinski, Israel Antonini, Lilian Aquino e Mariana Teixeira. Na PontoArt Galeria, Vila Madalena.

 

Quinta-feira – 12/maio – 21h Toda Quinta No Chili Peppers – Luiz Cláudio de Santos … O cantor e compositor apresenta seu repertório de mpb e músicas autorais. Em Santos.

 

Quinta-feira – 12/maio – 21h … Mou Vidinha no Boutique Vintage … Com canções autorais, releituras do rock nacional e mpb, Mou (violão e voz) se apresenta acompanhado de Nelsinho (violão e voz) e Felipe Jimenes (cajon e voz). Ao lado do Sesc Belenzinho.

 

Quinta-feira – 12/maio – 21h … MPB Universitária … Artistas ligados ao Clube Caiubi lançam movimento musical subversivo, o MPBU: ‘é música transformando a mente’. Show com Edu Franco, Marcio Policastro, Max Gonzaga e Sander Mecca (ver clipe – participação especial de Zeca Baleiro no vocal)No Garagem Vinil, em Pinheiros.

 

Sexta-feira – 13/maio – 19h … RATOS! Ratos do Blues! … A autodenominada ‘Banda de Blues mais Rata de Sampa’, se apresenta no Uccigastrobar, no Parque Novo Mundo.

 

Sexta-feira – 13/maio – 19h30 … João Jorge Acústico … A chamada sexta JJ, com o melhor do rock and roll em cordas e voz. No Carauari Bar e Mercearia, na Vila Maria.

 

Sexta-feira – 13/maio – 21h … Banda Nobox … O melhor do bom e velho rock and roll, no Pilequinhos Bar, na Vila Maria.

 

Sábado – 14/maio – das 10h às 17h Open Studio – Guilherme Kramer … Inauguração do ateliê do artista no centro de São Paulo. Além de conhecer o espaço e trocar ideias com ele, os interessados terão acesso a uma seleção de seus primeiros trabalhos e várias obras inéditas, conhecendo seu processo de criação e uso de materiais.

 

Sábado – 14/maio – das 14h … Sarau Beco dos Poetas no Parque – 2ª edição … Nova edição do sarau no parque: música, poesia, natureza, arte, cultura, tudo junto e misturado. No Parque Lina e Paulo Raia. No domingo, às 12h, o Grupo Editorial Beco dos Poetas & Escritores Ltda, que atua há mais de 7 anos publicando novos autores e divulgando a literatura, apresenta uma nova antologia.

 

Descontos de Fadas

Sábado – 14/maio – das 15h às 19h … Lançamento do livro DesContos de Fadas … 17 escritores repensam os contos de fadas de forma bem-humorada sob a ótica das desilusões, reflexões, neuroses e modos de vida da sociedade moderna. Em diferentes estilos, os textos deram novas vidas a princesas, anões, bonecos, sereias, lobos e marinheiros. Com ilustrações de Maria Luísa Miranda Massanet. Na Rua Augusta.

 

Sábado – 14/maio – 18h … Alma, Som e Rock’n’roll … Raphael Andhra apresenta o projeto Acoustic Rock, quebrando tudo com muito rock, jazz, blues e mpb. Na Cachaçaria e cervejaria Adri & Anão, na Vila Maria. Entrada grátis.

 

Sábado – 14/maio – 18h … 87º Sarau Bodega Do Brasil … Além de música, dança e interpretação, teremos o lançamento do livro Espinheiros, do poeta Guilvan Miragaya. E também o palco aberto. Próximo à estação Santa Cecília do metrô.

 

Domingo – 15/maio – 15h44º Sarau da Casa Amarela … Um dos melhores saraus de São Paulo. Nesta edição, tem como convidadas especiais a poeta e escritora Liz Rabello, lançando seu livro infantil O resgate e a poeta e cantora Raquel Pereira, que é uma das organizadoras do Sarau na Galeria, de Suzano. Além do palco aberto, o poeta, compositor e cantor Darc Maia, autor da famosa canção Zé da Praça da Sé (vídeo abaixo), é o músico convidado. Entrada grátis.

 

Domingo – 15/maio – 18h … Show: Bruno Brasil & Fernando Diniz … Olha eles aqui de novo: sábado, no Sarau da Maria e domingo, em Pinheiros. A dupla completa 10 anos de parceria musical e apresenta o show Contraponto em que ambos tocam e cantam suas composições e falam sobre o que os inspira. No Estúdio Espaço Som, R$ 25,00.

 

 

… … … … … … …

POR HOJE É SÓ, PESSOAL.

BOA SEMANA A TODOS.

… … … … … … …