Não tem jeito. Toda família tem uma composição muito parecida, por mais que cada família seja única. Com divórcio ou sem divórcio, com muitos primos ou poucos primos, com muito álcool ou pouco álcool, as festas de natal costumam ser momentos nos quais cerca de 10 personagens entram em campo em todas as casas do país para uma performance extremamente parecida, dando às festas de natal todas um ar muito semelhante. São eles:

 

  • 1) A tia das perguntas: aquela tia que queria ser investigadora na polícia civil, que chega fiscalizando a vida alheia, fazendo pelo menos 14 perguntas por cabeça- a que horas chega a Dulce? Ela não ia trazer o bolo? Não pediram para ela chegar cedo? A Neuza não avisou? A Neuza vai trazer o genro? O genro dela arranjou emprego? E o Gabriel, arranjou? Vocês não acham a namorada do Gabriel estranha? O pai dela é político? Vocês não estão sentindo um cheiro de queimado? Será que a Ana esqueceu o molho no fogo?

 

  • 2) O primo que nunca está entendendo nada: avisaram para ele sobre a festa 20 vezes. Ele costuma errar a data. Se não errar a data, erra o endereço e o horário. Quando chega, diz “eae suave?”. Não sabia que ia ter amigo secreto. Tem todo ano. Não sabe quem tirou. A mãe dele chega com o presente. Ele elogia o peru, mas na verdade é um leitão. Ele responde todas as interações com “daora”, “firmeza” e “pode crê”.

 

  • 3) A prima gótica-suave-disruptiva: seu visual muda tanto de ano em ano, que frequentemente as tias velhinhas não sabem quem é. Um ano tem cabelo comprido, no outro tá quase careca, usa batom preto, batom roxo, batom de fantasma, umas botas que deve comprar em marte e outros acessórios que ninguém consegue compreender (“alguém esqueceu um funil no sofá. Ah não, é o bracelete da Mari”). Sempre precisa sair mais cedo porque tem um show de uma banda que ninguém nunca ouviu falar (“como assim vocês não conhecem os Viajantes do Beat Groove? Eles são in-crí-veis)

 

  • 4) O tio manguaça: está sempre de bom humor e com o copo cheio. Fica sempre perto da mesa, intercalando bebidas alcoólicas com amendoim. Com 1 hora de festa, já queimou a largada e dá umas gargalhadas, jogando a cabeça para trás, quase caindo da cadeira. Geralmente existe uma tia que está louca da vida com ele, dizendo coisas como “O Arnaldo não tem mais jeito não, eu já desisti, a glicemia lá em cima e ele continua fazendo essas coisas, eu não falo mais nada, quer morrer, morra”.

 

  • 5) A prima perfeitinha: ela está sempre linda, o cabelo está todo arrumado, a maquiagem é leve, porque ela já é bela por natureza, ela cozinha bem, leva um bolo num prato dourado embalado em papel celofane, chega um pouco antes do horário para ajudar, está com o mesmo namorado há 8 anos, vai se casar em breve, numa linda cerimônia com flores brancas. A roupa dela sempre está passada e ela não julga ninguém, ao contrário de você.

 

  • 6) A tia da igreja: todas as correntes que ela mandou por whatsapp e todos o memes de gatinho que ela postou no facebook ao longo do ano agora se tornam reais. Ela adora o natal e coloca Deus e Jesus em todas suas frases: não deixa o peru queimar, em nome de Jesus. Arnaldo, ouça sua mulher, pelo amor de Deus. Deus abençoe quem fez essa maionese, que tá divina. Jesus, Maria, José, olha o Rafinha debruçado na janela, que perigo, deuzolive. Ela puxa orações antes das refeições e o primo que não entende nada começa a comer antes da oração acabar, porque achou que era uma conversa normal.

 

  • 7) O tio das polêmicas: aquele que só vai para causar problemas. Chega no primo de esquerda e diz “vou te convidar pro meu churrasco quando o Lula for preso” e depois vira pra tia de direita e diz “mas você não acha que a legalização da maconha vai diminuir a criminalidade?”. Não importa o lado, ele só quer criar problemas. Relembra brigas do ano passado, diz que o presente que fulana deu era o mesmo que ela ganhou da Dulce em 2013, pergunta “e esse casamento, quando sai?” e diz que a Irene está com um ar acabado- deve ser por causa do Carlos, você sabe o que ele anda fazendo né?

 

  • 8) A tia sem noção: a tia sem noção é a alma da festa. Frequentemente pensamos que ela está bêbada e ela não está. Ela dança, com ou sem música, erra o nome de muitas pessoas- inclusive do próprio genro, chamando-o pelo nome do ex da filha-, conta piadas sem cabimento, chama os sobrinhos de “seus fiadaputa”. A tia da igreja não gosta nada dela. É a única que consegue escapar da tia das perguntas e do tio das polêmicas. Não dá a menor bola. Também é a única que deixa o Arnaldo beber em paz.

 

  • 9) O primo corintiano insuportável: todos evoluem na família. Mudam de emprego, de marido, de hábitos, de assunto. Menos o primo corintiano. Ele continua sempre no mesmo tema, com as mesmas piadas sobre títulos mundiais, sobre jogadores supostamente gays, sobre a nação corintiana, sobre aquele pênalti não marcado na semana passada. Nem os priminhos de 9 anos têm paciência para ele.

 

  • 10) O desconhecido: por menor que seja a família, dizem estudos de Harvard, que em 94% das festas de natal aparece pelo menos um desconhecido. Pode ser a nova namorada de um primo, pode ser o sogro de uma tia, pode ser uma vizinha solitária da dona da casa. Ninguém sabe bem quem é. Ainda segundo o estudo da Universidade, em 47% dos casos, descobre-se que era a prima gótica suave disruptiva, que foi de peruca ruiva naquele ano.