É perigoso acordar os sonâmbulos, dizem. Não se deve despertar alguém de repente, de supetão, jogando água gelada sobre sonhos tão maravilhosos que não caberiam em palavras.

Quando uma ilusão se desfaz, ficamos órfãos de uma hora para a outra. Na verdade já éramos órfãos, mas nos damos conta disso. É como se de repente percebêssemos o óbvio – como naqueles filmes-reviravota em que no final se torna claro que tudo o que havia sido visto até então era um truque. Caímos como patinhos.

Aquele berço que vínhamos embalando há meses já não continha bebê algum.

O choque é perigoso. As reações são imprevisíveis. Gente que bebe, gente que briga, gente que convulsiona. Gente que queima bandeira, ônibus, casa. Gente que ri de nervoso, gente que gargalha de nervoso, gente que esquece que é gente e urra e esmurra como bicho. Não é mais torcedor, repare. É gente. Fomos brutalmente destituídos de nossa condição de torcedores.

A ilusão acabou. Maravilhamo-nos com a Costa Rica – sabendo, é claro, que ela nunca seria campeã. Mas curtimos a ilusão deles, compartilhamos suas fantasias. O que não sabíamos é que nós mesmos éramos uma Costa Rica de luxo. Ignorando nossa tremenda dificuldade em vencer, ignorando a robustez dos adversários, acreditando em milagres – que, afinal, aconteciam.

A derrota fragorosa nos arranca da condição de torcedores, daquele berço esplêndido em que vislumbrávamos a vitória, para a condição de gente. Gente que perde. Gente que sai de campo humilhada.

O móbile em que balançavam seis taças de Campeão Mundial está fora de alcance. Como um bebê, choramos ao perceber que a distância é intransponível. Queremos colo.

Mas não virá colo. Quando se é arrancado da condição de torcedor para a de gente, o máximo que se pode esperar é que o tempo passe. O mesmo tempo dos amores partidos, dos empregos perdidos, dos laços desfeitos, do gozo interrompido.

Que o tempo passe para o torcedor brasileiro como passa para todas as gentes, e que, no futuro, estejamos amadurecidos, com braços longos e mãos fortes, preparados para ser de novo campeões. Sem choro nem vela.

 

______________________________________________

*Siga Males Crônicos no Facebook.

(Não esqueça de clicar em “obter notificações” na página)

Atualizações todas as segundas-feiras.

Twitter do autor: http://twitter.com/essenfelder

______________________________________________