Inúmeros fatores influenciam no sucesso de um projeto: espaço, iluminação, presença de vigas ou colunas estruturais, tipo de acabamento e cores usados, entre outros… Alguns princípios, no entanto, são comuns a todos os projetos bem elaborados, por isso, vale a pena ficar atento a estas dez dicas.

(Anelisa Lopes escreve sempre às terças. Acompanhe alguns de seus projetos e referências no Instagram: @a81_design)

1.Estude sua rotina

Você é casado? Tem filhos? Animais de estimação? Estuda e trabalha? Passa a maior parte do tempo em casa ou fora? recebe amigos e família com frequência? Eles vão para confraternizar ou também precisam de um cômodo para dormir? Todas estas respostas influenciam diretamente no resultado final do seu projeto. Estudar a rotina e inserir seus hábitos no processo de criação é o primeiro passo para reformar ou decorar.

2. Entenda seu estilo

Houve um tempo em que se seguia um estilo único e todas as casas pareciam iguais. Hoje em dia, criatividade e liberdade são palavras de ordem, já que existem tantos estilos que é bem difícil seguir um só. Fique atento, no entanto, em como e quanto misturá-los: contemporâneo e clássico, por exemplo, caem bem, enquanto rústico e vintage já fica mais complicado para se mesclar, tarefa que até para profissionais pode ser um desafio. O importante é equilibrar a dose e ter bom senso.

3. Pesquise acabamentos

Escolher pisos, revestimentos, cores, acabamentos de hidráulica e elétrica requer tempo e nem todos possuem paciência para fazê-lo. Mas esta dedicação é mais que importante. Hoje em dia, e possível ter uma ideia pesquisando online nas grandes redes de lojas e fazendo simulações em aplicativos de marcas de tinta. Se o desafio parecer muito complexo, o caminho é seguir o básico tanto na parte de acabamentos como nas tonalidades.

Equilíbrio, harmonia e detalhes são a chave para um projeto de sucesso (foto: arquivo pessoal)

4. Pense na iluminação

Muitas vezes deixada para o final do projeto, a iluminação tem um papel importantíssimo no resultado e, por isso, precisa ser pensada com cuidado e no início de todo o processo, já que para alterar ou acrescentar pontos de luz, na maior parte dos casos, é preciso quebrar as paredes. Além disso, tem uma boa parcela no investimento da obra. Uma luminária de destaque, seja no teto, na parede ou no chão, no entanto, sempre marca presença ilustre no ambiente.

5. Tire medidas

Antes de pensar em mobiliário, seja ele planejado ou pronto, meça seus ambientes. A medida do pé direito, ou seja, do chão ao teto, é igualmente importante, assim como a largura e altura das portas e janelas. Lembre-se que por 1,5 cm, um sofá pode não caber naquele canto da sala. Não se esqueça do espaço para circulação e ocupação de cadeiras na mesa da sala, por exemplo.

6. Reutilize

Reutilizar móveis e objetos de decoração, além de gerar economia, dá um toque de personalidade ao projeto. E não é preciso ser artista para transformar uma relíquia. Se for o caso, uma lixa e algumas demãos de tinta são suficientes para dar outra cara ao objeto e, assim, manter suas memórias no ambiente.

7. Não exagere nas compras

Respire fundo e faça uma análise criteriosa do que é preciso comprar para começar a decoração da sua casa. O conjunto básico inclui sofá, conjunto de mesa de jantar e cama. Poltronas, mesa de centro ou lateral, criado-mudo, rack ou aparador podem vir numa segunda fase e escolhidos posteriormente. Muitas vezes, decorar leva tempo, principalmente, se você estiver fazendo esta missão sozinho e tiver paciência para garimpar acessórios exclusivos e com preços melhores.

A iluminação tem um papel muito importante na decoração (foto: arquivo pessoal)

8. Nem tudo precisa combinar

Criado mudo igual no dois lados da cama ou cadeiras do mesmo padrão na mesa da sala não são mais regra. Você pode, e deve, misturar elementos, desde que eles tenham um ponto de harmonia entre si, como estilo, cor, textura ou acabamento. O resultado pode ser surpreendente e não ficará com aquela cara de apartamento decorado de empreendimento.

9. Capriche nos detalhes

Detalhes fazem toda a diferença e não devem ser deixados de lado, pois são especialmente importantes para dar aquela um aspecto profissional ao projeto. De que adianta um quarto maravilhoso com uma colcha velha e manchada? Ou um banheiro lindo com toalhas desfiadas? Os detalhes devem ficar para o final, mas merecem atenção.

10. Mantenha organizado

Uma vez, escutei de uma cliente: “só você consegue fazer aquela arrumação final. Uma semana depois que foi embora, já não estava mais nada no lugar”. Esta “arrumação”, na maioria das vezes, está intimamente ligada à organização. Manter o hábito de deixar os objetos em seu devido lugar nos armários e gavetas, com certeza, deixará o ambiente livre de interferências visuais e acúmulos desnecessários.