Quando ainda estava na briga com a balança, um dos maiores problemas que eu enfrentava era o foco que mantinha na comida o tempo todo.

Só falava em comida. Chegava para trabalhar já combinando com os colegas onde seria o almoço. Achava um absurdo as pessoas esquecerem o horário de almoço. Isto nunca aconteceu comigo. Eu era pontual. Esperava ansiosamente por isso.

Se tivesse uma festa a noite, passava o dia imaginando o que seria servido. Muitas vezes, comia antes de ir para resistir as tentações, mas não adiantava, era pior porque comia em dobro. Durante a festa, não prestava atenção no evento, nas pessoas, na conversa, apenas na comida. Eu me interessava primeiro pelos salgados e, claro, guardava lugar para os doces.

Em restaurantes, minha loucura era o couvert. Eu esperava ansiosamente a cestinha na mesa e comia compulsivamente até acabar. Mesmo cheia, esperava o prato principal e também comia. Este era meu prazer e quando acabava era hora de ir embora e mais uma vez não havia prestado atenção em mais nada, apenas na comida.

O importante para mim era comer. A comida era o centro do meu prazer. Um dia me perguntaram: “O que você gosta de fazer?” Eu disse: “Comer”. Este foi meu problema, como poderia parar de comer se era minha única fonte de prazer?

Hoje, vejo em meus atendimentos que este é um problema comum às pessoas que sofrem com o excesso de peso. Quando faço esta pergunta aos meus clientes, muitos me respondem: “Meu prazer é comer”.

É preciso desvincular o prazer da comida. Você pode ter prazer em inúmeras outras coisas que não a comida, conversar com amigos, sair com filhos, namorar, passear, viajar, enfim… A comida só deve servir para suprir suas necessidades fisiológicas e não suas necessidades emocionais.

Como mudar isto? Vamos iniciar seu processo de mudança. Experimente lembrar-se de você só pensando em comida. Agora, pense como você gostaria de se comportar. Reveja as duas cenas de forma que se veja executando a ação.

Agora veja as cenas novamente como se você estivesse assistindo um filme e pergunte-se: “De que forma poderia ser diferente?”, “Quais seriam minhas opções para mudar estes comportamentos?” , “Eu poderia ter feito outras escolhas quando só penso em comida?

Agora, quero que você reviva as experiências novamente, mas utilizando as novas escolhas que pensou anteriormente e verifique as sensações. Faça isso algumas vezes, você estará gerando comportamentos novos e iniciando as mudanças que precisa.

Foi assim que iniciei minha jornada. Foi assim que comecei a mudar os meus comportamentos inadequados em relação a comida. Hoje, não é mais a comida que me controla, sou eu quem controlo o que vou ou não comer. E o melhor disto tudo, sem sofrimento ou privações.

Fica a dica desta semana.

Abraço

Andrea Romão

Coach de Emagrecimento