Feliz NatalEu sempre adorei o Natal. A cidade iluminada, as pessoas na rua, aquele corre e corre para as compras de última hora, o espírito de festa, happy hours quase todos os dias, confraternizações, encerramentos, nossa que loucura! Eu esperava ansiosamente cada evento, e sabe para que? Para comer e beber tudo que eu tinha direito, afinal de contas tinha passado o ano inteiro seguindo mil dietas, fazendo exercícios, me privando de coisas boas e eu merecia aproveitar este momento. A ansiedade era tanta que fazia a contagem regressiva antes da meia noite, não para os presentes, mas para começar a ceia. Só pensava nas comidas e eram tantas que não sabia nem por onde começar. Comia até passar mal. Sempre tinha uma estratégia porque precisava experimentar todos os doces. Difícil dizer isso, mas o mais importante era comer. Quando tudo acabava o pensamento era: o que terá no réveillon?

Durante muito tempo, os meus finais de ano foram assim, mas confesso que todas as mudanças que aconteceram em minha vida, no meu corpo e na minha mente contribuíram para eu pudesse rever meus valores, minha forma de enxergar o mundo, as coisas e as pessoas que me rodeavam.

Hoje eu enxergo este período do ano de uma outra forma. Não estou aqui falando só do cunho religioso, mas do quanto este momento agora me faz avaliar o que eu fiz durante o ano, o que me deu orgulho, o que não gostei de ter feito, quem foram as pessoas que conheci e as que só vi passar. Eu avalio como agi, como me comportei, como foram as minhas atitudes diante dos eventos da vida. Avalio também se dei direcionamento e foco para tudo aquilo que planejei, se me desenvolvi, se aprendi coisas novas, se me tornei uma pessoa melhor e, principalmente, se não perdi de vista os meus sonhos.

Quando você muda seu modelo mental, aquele que é focado em comida, você deixa de ter a comida como a coisa mais importante do mundo e passa a aproveitar os momentos bons da vida de uma forma muito mais intensa, harmoniosa e feliz. Hoje não tenho mais medo de se vou conseguir me controlar no natal, se vou engordar ou se vou acabar com meu projeto verão. Eu aproveito meus amigos e minha família, sem me preocupar com a balança. Como sem culpa, inclusive a sobremesa, e com alegria porque minha mente já entende que como só o que é suficiente para meu organismo.

A pergunta que me habituei a fazer durante esta jornada é: “O que é mais importante para você, sentir-se bem, feliz, orgulhosa de você mesmo e realizar seu sonho ou uma mesa farta de comida que te dará prazer por alguns instantes? ”

Já parou para pensar em quanto tempo desperdiçamos na sua vida? Sei bem todo o prazer que a comida traz, mas hoje entendo que posso sentir prazer por outras coisas muito mais interessantes que a comida e conquistei isso. E se eu fiz isso, você também pode. Existe solução. Então, aproveite esse momento e comece respondendo a você mesmo: “O que vai querer de fato neste e nos próximos Natais? ”

Queira dar um basta naquilo que você tem hoje e que não te agrada e assumir a responsabilidade pelo seu sonho. Queira ter claro onde quer chegar. Tendo a visão clara e precisa, não precisa de chefe, não precisa de ordens, apenas da sua força interna para conquistar o que você quer.

Além disso, queira sabedoria e faça dela a base, o alicerce para sua vida e, principalmente, a tua companheira de jornada. Tendo sabedoria, você aprenderá a diferenciar o necessário do supérfluo, conseguirá viver muito bem sem aquilo que sempre julgou imprescindível.

Queira neste e nos próximos natais começar a construir o seu legado, a sua história de superação para poder deixar a sua herança de vitória e conquista.

Faça deste Natal o primeiro do resto de sua vida. Comemore, brinde, aproveite cada momento, preste atenção em tudo, todos os detalhes, converse, mate a saudade de quem ama, esteja feliz e tenha em mente a certeza de que realizará seus sonhos.

Com esses desejos realizados, com certeza você terá a Mente Magra.

Feliz Natal.

Grande abraço.

Andrea Romão

Coach de Emagrecimento