Eu comia escondida e você come?

Sim, eu comia escondida. Era do tipo que adorava chegar com a casa vazia, sensação de liberdade, abria os armários e escolhia, à vontade, o que comer.

Aos domingos, após o almoço, quando todos iam descansar, era meu momento de ataque à geladeira, principalmente porque sempre tinha um resto da sobremesa que não havia comido no almoço.

Quando saia para almoçar com colegas de trabalho, após o almoço, sempre dava um jeito de me afastar deles. Eu acabava de comer, mas ainda tinha a sensação de que estava com fome. Escondida, buscava algo mais para comer.

Comer escondido me dava prazer. Era uma sensação de liberdade e oportunidade de escolha. Nesse momento, eu podia comer o que quisesse, sem escutar: “Você pode comer isto?” ou “Está comendo isso? Mais uma dieta que vai para o espaço.” ou “Não sei por que você gasta dinheiro com dietas, não consegue fazer.”

Atendo clientes que sentem a mesma sensação de prazer e bem estar quando comem escondidas. É a maneira que encontramos de fugir dos julgamentos, dos olhares críticos. Quando estamos em excesso de peso, ficamos na mira desses olhares e isso também é um peso. São julgamentos de pessoas que não sabem o que é a luta contra a balança, que não entendem que o impulso de comer é mais forte do que nós. Eles pensam que é puramente falta de vergonha na cara e não é.

Uma época, trabalhei em uma clínica onde fazíamos atendimento terapêutico para obesos. Eu era a psicóloga mais gorda da equipe. De segunda-feira, coitadas das clientes eram massacradas pelas psicólogas magras que não entendiam o que era passar um final de semana em família com todos sentados a mesa e só você sem poder comer. Elas achavam que era desleixo, falta de vontade, enfim. Um dia, eu perguntei para uma delas: “Você já foi gorda alguma vez na sua vida? Se nunca foi não vai entender o comportamento delas.” Não preciso dizer que fui demitida, né?

Estou dizendo tudo isso porque, muitas vezes, queremos fugir de tudo e de todos para evitar esses julgamentos. É doloroso escutar críticas, principalmente sobre um assunto que é tão difícil mudar e ser diferente.

A dica desta semana não é um exercício, mas sim um depoimento de que é possível mudar e deixar de ter estes comportamentos. É possível entender o que acontece em nossa mente, qual é o registro mental que nos faz ter este comportamento e eliminá-lo.

Eu só parei de comer escondida quando percebi, através deste trabalho, que minha mente havia aprendido que fazendo isto tinha a sensação de liberdade, paz e tranquilidade.

Faça sua reeducação emocional. Ela é importante para que você consiga resultados efetivos em seu emagrecimento.

Abraço

Andrea Romão

Coach de Emagrecimento