O que fazer para ter uma vida saudável você já sabe: manter as tentações distantes, traçar objetivos a médio e longo prazo e encarar os exercícios físicos como prioridade no dia a dia. Porém, é no fim de semana que você se depara com obstáculos quase impossíveis de enfrentar: tem uma festa de aniversário, uma sessão pipoca com os filhos ou até mesmo uma cerveja com amigos.

Um de meus clientes chegou ao consultório dizendo: “Eu estaria mais magro, se não existissem os finais de semana”. Ele agia da seguinte forma: durante a semana conseguia manter a dieta, fazia tudo certo, tinha foco e comprometimento com seu processo de emagrecimento. Porém, à medida que chegava a sexta-feira, ele só conseguia ir bem até o almoço, depois era como se virasse a chave. Pensava exclusivamente na programação do final de semana e no que iria comer.

Neste caso, ele ensinou seu cérebro que depois do almoço de sexta tudo podia. Era como se a mente subconsciente dissesse: “Agora chega de dieta”, “Está chegando o momento da minha liberdade”.

Este  registro mental tornou-se um tipo de sabotador poderosíssimo e o fazia agir de forma que seus finais de semana fossem sempre muito fartos de comida e bebida. Consequentemente, na segunda-feira, o resultado era aumento de peso. Muita gente age dessa mesma maneira de forma automática e, quando percebe, já está na segunda-feira com a roupa apertada.

O importante é não perpetuar este círculo vicioso negativo e reconhecer para si mesmo o motivo pelo você qual está engordando. Com certeza não é o fim de semana e sim a sua forma de associar prazer ao descontrole alimentar.

Para emagrecer você precisa tomar decisões sobre mudanças saudáveis em seu estilo de vida. Isto não é uma tarefa simples. Como tudo em nossa vida, exige esforço. Mas como já falamos aqui, você pode usar seu cérebro a seu favor.

Crie em sua mente uma imagem muito forte de você em um final de semana comendo e bebendo sem controle. Imagine esta cena em uma grande tela mental, coloque-se apenas no lugar de observador. Atente a cada detalhe. Sinta cada emoção, como se você estivesse assistindo um filme onde você é o protagonista principal.

Agora, decida o que você quer mudar na cena que criou. Nesse momento, revise seu roteiro e faça todas as modificações que acha que podem melhorar seu desempenho. Você ainda é o telespectador. Agora, entre no filme e se transforme nessa pessoa.

Em sua tela mental, repasse novamente o filme, mas agora saindo do papel de espectador e vivenciando realmente a cena. Finalmente, pense em como você quer que a cena realmente termine e como você poderá manter o seu novo comportamento ou atitude para alcançar o resultado que deseja.

O segredo para desenvolver e criar um novo hábito é dedicar-se todos os dias por no mínimo três semanas. Treine seu cérebro para fazer com que esses novos comportamentos ocorram com maior facilidade. Você estará criando os caminhos neurais de que precisa para realizar a ação verdadeira.

Abraço!

Andrea Romão

Coach de Emagrecimento