Não há dúvida de que a mulher mudou. Mas, arrisco dizer (sob pena de apedrejamento) que algumas coisas não vão mudar nunca. Mulher é mais cheirosa (fato confirmado); mulher é mais chorosa (muitas perdem de mim); mulher adora comédia romântica (é estatístico) e, finalmente, mulher demora para escolher roupa. Ah, o cronista está sendo redutor, machista, atrasado e provavelmente brocha. Não estou, não. Elas demoram, sim.

 

Acontece e prejudica a união. Porque tem homem que não sabe lidar. Se irrita e estressa a dama. É errado. Uma das particularidades femininas mais charmosas que existem é o embaço na frente do armário aberto, de calcinha e sutiã, olhando as prateleiras com mau humor contido. Brigar com a indecisa amásia é o pior que o companheiro pode fazer. Azeda a noite antes de começar. Preste atenção: há um jeito de se portar.

 

Para começar, é importante que o homem também comece a se arrumar para sair. Não é porque ela vai demorar duas horas que ele tem que esperar até o último minuto para tomar banho. Isso é tripudiar. Numa linguagem que todo homem entende, é como o Schumacher (nos bons tempos) esperar todo mundo dar a primeira volta para aí ligar o carro. Nem precisa se vestir depois do banho: o homem pode esperar, de cueca, na cama, enquanto ela escolhe a roupa. É o meio-termo: você está atento à hora, mas sem apressar ninguém.

 

O primeiro critério que ela vai usar para escolher a roupa é o clima. Há indícios científicos de que as mulheres são mais friorentas que os homens. Parece que tem a ver com o hipotálamo. Então, quando perguntado sobre a temperatura externa, você deve sempre cravar que está frio. Porque daí a moça vai levar um casaquinho e, mesmo que não use, a noite estará salva. Calor não é problema: neste caso, é o homem que sofre – suando feito poço artesiano e ficando ligeiramente fedido e catinguento como consequência. Não, não falo por mim. Sou careca e portanto preciso estar sempre cheiroso – caso contrário, não teria nem me casado.

 

Superada a questão da temperatura, mesmo assim a mulher vai continuar indecisa – olhando para o armário, dizendo “não tenho nada”. Não entre nessa de jeito nenhum: você perde de todo modo. Se concordar, estará desautorizando o armário inteiro dela. Baita desfeita. Se discordar… bom, não se discorda de uma mulher irritada por falta de roupa adequada. Apenas fique quieto, querido. De cueca, na cama – e quieto.

 

Em seguida, ela vai começar a experimentar roupas e pedir sua opinião. A tentação é responder sem tirar o olho da televisão, com aquele  “humm-humm” clássico. Outro equívoco: querer tirar o assunto da reta dizendo um genérico “esse é lindo”  – porque ela vai perguntar de volta se “ficou melhor que o outro”. Como você não prestou atenção no que ela estava experimentando antes, seu julgamento não terá base nenhuma – e ela vai detectar descaso. Falta de atenção torpedeia qualquer relação, em qualquer situação.

 

Por último, jamais diga o urgente “ah, escolhe qualquer coisa, vai”. Não se apressa o rito. Fique na cama, de cueca, na sua – até ela ir secar o cabelo. O vúúúúú do secador é sinal de que a roupa está escolhida. Tipo alarme anti-aéreo, que avisa para você se mexer rápido. Aí, ponha uma calça adequada e uma camisa que esteja à altura do que ela está vestindo e faça o favor de ser boa companhia. Lembre-se: ao seu lado está uma mulher que caprichou para sair com você. Faça por merecer.