Quem já tomou injeção de Benzetacil na bunda sabe como é. Vem a picada, a dor aguda, o sadismo do japonês da farmácia (eles sorriem nessa hora) e, finalmente, o arrepio subindo a coluna. É desse arrepio que falo. É o mesmo calafrio que dá quando a mulher amada dá o Olhar. Sabe qual ? Aquele de fianca, arregalado, soltando labaredas – reação imediata a alguma caca que o parceiro fez. Acontece o tempo todo; os homens estão sempre no limite do comportamento social aceitável. É uma conferida numa bunda que passa, uma piada idiota, um pum audível – são vários os motivos. Primeiro vem o Olhar, já anunciando o terror. Em seguida, vem a bronca. A cravada, o esbregue, a escovada. O Pito.

 

O Pito fica maturando, crescendo dentro do peito da amada, até o casal chegar no carro – ou no quarto. É o primeiro momento a sós. Então, fica aqui uma dica. Se o homem sabe que vai  levar um esculacho, se percebeu pelo Olhar, deve evitar ao máximo este primeiro momento a sós. Sei lá, assim que chegar em casa se tranque no banheiro, caia no sono já no elevador, enfim: empurre pra frente. Quanto mais tempo demorar, melhor: elas vão se acalmando.

 

Logo depois do Pito vem o Silêncio. Bicho, se elas são boas na bronca, no Silêncio elas são absolutamente sensacionais. Elas ignoram o parceiro durante dias. Dias ! Poucas palavras de manhã, e bunda virada pro companheiro na hora de dormir. A vida torna-se impensável. Cactos murcham. Quanto maior a besteira, maior o Silêncio. Os pouco experientes até confundem essa mudez com uma possível ausência de sexo. Pode até ser, sim. Depende, de novo, do tamanho da besteira. Mas, normalmente, as duas coisas – Silêncio e Greve de Sexo – são eventos diferentes. Mulheres sabem separar essas coisas. Greve de Sexo complica pra elas, também. Não é porque ela está castigando o sujeito que precisa também se punir, não tem cabimento.

 

O processo todo, como descrito acima, tem resultados impressionantes. Veja o que aconteceu com o Ed Motta. Falou o que não devia nas mídias sociais? Levou beliscão. Teve que amargar o esculacho como todo mundo – inclusive os que falam inglês. Segundo o próprio Ed, a esposa ficou dois dias sem dar papo. Claro: ele teve que pedir arrego. Se retratou no feice e tudo. Arrependimento ? Conselho do agente ? Nada: Pito da Patroa.

 

Penso nas grandes besteiras da história – como Hitler, Bin Laden ou George Bush. Com certeza eram casados com mulheres frouxas. Se fossem mulheres normais, nada de guerra, genocídio e terrorismo teria acontecido. Claro que não. Se Madame Bin Laden tivesse interrompido alguma reunião em casa, brava, com um “Osama, já não te falei pra parar com essa história de avião?”, o Oriente Médio hoje seria mais calmo que Camboriú.

 

Mas há limites. Caso a mulher passe do ponto na retaliação, ou bata por qualquer coisa, aí a moça em questão vira uma mala. Mulher brava tem charme; já a mala não tem graça nenhuma. Ninguém aguenta. Em dois meses o casal se separa. Fácil perceber se a mulher está passando do ponto. Só fazer o teste. Basta ela combinar um encontro no bar com amigos e o amado.  E chegar atrasada, com todo mundo já instalado na mesa. Se o  companheiro pedir Guaraná Diet assim que ela sentar, é porque, com a chegada da gata, a noite perdeu a graça. Atenção.