Hoje falaremos da Tecla Dane-se. Sim, existem outros nomes para este dispositivo intra-craniano, a maioria impublicáveis – mas no fim todos os termos querem dizer a mesma coisa: a suprema capacidade para, diante de alguma mazela, simplesmente desligar de tudo e ir desencanar um pouco. É aquele distanciamento analítico necessário para resolver um problema. Quantas vezes tivemos ideias e surgiram soluções justamente porque não estávamos pensando no assunto?

 

Veja: todos os perrengues da vida podem ser encarados de duas maneiras: com ou sem stress. Os dois modos funcionam – mas fazer as coisas sem tensão é melhor e libertador. Porque a pessoa decide, provavelmente com irresponsabilidade, ir ao cinema ou a um bar em vez de continuar empacado no ciclo vicioso da questão a resolver.

 

E, na maioria das vezes, ligar o dane-se é tudo que está ao nosso alcance. Sempre penso, por exemplo, na cotação do dólar. O que eu, que vivo de letrinhas, que não faço conta desde 1988, que não jogo 21 por incapacidade algébrica, posso fazer com relação ao custo da moeda americana? Exato: apertar a Tecla. Depois a gente vê como paga o cartão de crédito.

 

Aí a pessoa pode me acusar de alienação. Pode ser mesmo, mas dá pra perdoar. Nestes dias de suspense político, estar engajado é sofrer como uma mãe quando o filho vai pra balada – impotentemente. Alienar-se pode ser uma opção saudável de vida, como comer quinoa. Tem menos sabor, mas a pessoa vive mais. Existem ainda estudiosos que defendem a Tecla como o contrário da alienação: já que está tudo perdido, então perdido e meio: vou pra avenida derrubar governos e azar do resto. Para esses estudiosos, a Tecla é anárquica: se não temos um governo de verdade, então vamos assumir a zona e propor governo nenhum.

 

A Tecla Dane-se já equipa todos os brasileiros, de fábrica. Todos os gêneros possuem tal botão, mas os homens aparentemente usam mais. Para nós, a Tecla Dane-se é acionada também em situações afetivas: a namorada ou namorado vem falar com a gente, parece que estamos prestando atenção – mas, não: nosso cérebro está em outro assunto ou dimensão. É um uso mais específico do botão e causa irritação profunda em quem está conversando com você.

 

A Tecla Dane-se é saudável e tem sentido amplo – mas precisa ser usada com cautela, seja na política, na cotação do dólar ou nos relacionamentos. É o último degrau antes do Caguei Geral, aquele que joga todas as convenções para cima. Se o Caguei Geral for apertado, aí o último a sair apaga a luz do Maracanã.