Como-Viver-em-um-Casamento-sem-Amor

É possível ser feliz ao lado de alguém que faz tudo por você, mesmo que não sinta amor por essa pessoa? Saiba que é muito frequente essa situação nos dias atuais e me pergunto como sobreviver se o afeto não está presente.

Isso me lembra um caso que acompanhei há muitos anos em que uma conhecida minha optou por viver ao lado de uma pessoa que se mostrava inteiramente apaixonado por ela, mesmo sem envolvimento mais íntimo, esse namorado aguentava firme dentro dessa relação, se é que podemos afirmar que essa situação era um relacionamento de verdade, onde não havia cobranças e a devoção era total.

Questiono-me se optar por uma relação sem retorno, se ela se sustentará por muito tempo. Tomara que não, pois não há como escapar da frustração que deve chegar a qualquer tempo, arruinando o castelo de areia.

Viver intensamente uma relação amorosa nos promove energia para seguir com outros projetos de vida, o amor traz cor, nos sentimos motivados por essa energia que promove a completude. Desde pequenos entramos em contato com as histórias de amor, seja em quadrinhos, livros, filmes e na vida real, nossos pais, padrinhos, tios. Crescemos com o desejo de encontrar alguém que possa de alguma forma nos completar, onde haverá compreensão, afeto, acolhimento e cumplicidade.

Sabemos que na vida real é muito difícil viver essa completude até porque cada um teve uma criação, valores que são passados por suas famílias de origem, mas mesmo assim é possível viver um bom relacionamento, desde que ambas as partes estejam dispostas a respeitar o outro, acolher as diferenças e aprender a viver a dois.

Desta forma vamos experimentando durante o namoro o que é se relacionar afetivamente com uma pessoa, essa é a fase de descobrir o outro e a si mesmo, como um casal.

Mas o que acontece quando nessa fase vivemos momentos de tristeza e trauma? Fico pensando em como algumas pessoas se sentem inseguras, com medo de tentar novamente em função de alguma experiência anterior malsucedida e deixam de viver de verdade, optando por uma relação morna, sem trocas reais.

A opção de viver um relacionamento sem amor é um direito de todos, porém perde-se a oportunidade de viver de forma mais intensa com o parceiro, vive-se pela metade, sem intensidade. Como sustentar essa situação por muito tempo, já que quando vivemos a dois é importante a troca, o investimento?

Possivelmente não se sustentará por muito tempo, um dos parceiros acabará desistindo, cansado de não receber carinho, de não sentir-se amado e a relação fracassa mais uma vez, com isso confirmam que não se tem sorte ou que tem dedo podre.

É preciso ficar claro que podemos fazer escolhas, mas que ao persistir em uma relação do qual não se está por inteiro, onde não há doação, a tendência é a falência do relacionamento. Porém, para algumas pessoas se o relacionamento fracassar, ainda assim irão se sentir seguros, pois no íntimo já sabiam que não daria certo. Sem envolvimento afetivo mais intenso fica mais fácil lidar com as rupturas que ocorrerão.

Por isso te convido a repensar seu relacionamento, nunca estaremos inteiramente seguros quando optamos a viver a dois, mas é fundamental para nos sentirmos felizes que possamos estar presentes e atuantes dentro da relação, somente assim a vida ganha cor e energia.

Sempre digo aos meus pacientes que é melhor escrever no diário da vida do que deixar as páginas em branco.

Fica a dica.