Porque é tão difícil para a maioria das pessoas ficarem sozinhas? Talvez enxerguem a solidão como algo ruim, até porque culturalmente aprendemos que temos que ter sempre alguém ao nosso lado. Casar, constituir uma família e quando seguimos outro caminho, somos cobrados até pelos amigos ou pessoas que nem conhecemos.

Escolhemos e tomamos como verdadeiras as crenças de que a solidão pode ser ruim, mas vemos milhares de pessoas casadas e extremamente solitárias, vivendo ao lado de fantasmas que mal enxergam a sua existência, muito menos a do outro.

Muitas vezes passamos a vida em branco, angustiados e querendo encontrar caminhos que nos devolvam a paz e a possibilidade de respirar de forma livre. Às vezes pulamos de galho em galho buscando no outro a alegria que na verdade nos falta. Projetamos em alguém que não viveu a nossa vida, que não teve nenhuma influência na história passada, que esta pessoa possa completar a parte que falta para nos sentirmos felizes.

Passamos anos vivendo a ilusão de que um amor romântico, como nos contos de fadas, seria possível. Claro que o romantismo é importante para as relações, mas estou me referindo a forma cor-de-rosa e não realista que acabamos idealizando sobre o que representa o casamento.

Atualmente muitas pessoas têm optado por seguirem suas vidas solo, talvez com algum bichinho de estimação, mas curtindo a vida adoidado, como no filme. Mas outros cultivam a solidão como forma de viver bem, em paz, prestando a atenção em outros aspectos da vida que seguem despercebidos por muitos, até porque quando estamos constantemente rodeados de pessoas e atividades, não temos tempo de olhar para o nosso Eu.

Nem uma escolha é errada, afinal são opções que cada um tem o livre-arbítrio de seguir, mas claro que se conseguíssemos levar a vida com mais leveza, seria bom demais.

A questão é que quando nos permitimos ficar em silêncio, sozinhos, olhar para o vazio e para a solidão, que na verdade significa estar só e não abandonado, como muitos se sentem, começamos a olhar para nosso interior.

Vamos em busca de uma caminhada diferente que nos abra a possibilidade de questionar verdadeiramente quem somos, o que queremos, o que sentimos e o que faremos. Claro que todos nós em algum momento passamos por essa situação, mas assim que a identificamos já corremos para nos esconder das respostas, pois é muito mais simples empurrar a vida com a barriga do que precisar tomar decisões, que muitas vezes afetam outras pessoas, além de nós mesmos.

Mas ao olharmos para nós mesmos, podemos identificar nossa sombra, que são aqueles aspectos do eu que fingimos não existir, mas que na verdade é importante identificar para que possamos evoluir, até mesmo para entender e sentir o que é felicidade.

Porque o conceito de felicidade já aprendemos na escola, mas nem sempre a vida favorece para que possamos senti-la de forma verdadeira, não concordam?

Minha proposta é que se permita ficar em silêncio durante alguns momentos de seu dia, se estiver sozinho aproveite esse momento sem pressa de colocar alguém ou algo no lugar, apenas permita e viva esse momento.

Quando aprendemos que é possível nos dar conta, nos dar colo, nos alimentarmos de outros conhecimentos, aí sim abrimos caminho para a real felicidade.

Meu convite é simples, só precisa se conceder alguns minutos em total silêncio, verá o quanto sua vida poderá se transformar.