Na vida passamos por inúmeros momentos que nos levam a formar uma compreensão do que significa ser uma família, dos papéis que ambos os genitores desempenham dentro desse contexto. Na maioria das vezes a idealizamos como um lugar seguro, onde teremos amparo, compreensão e colo. Mas, infelizmente, essa linda imagem que formamos em nossas mentes e desejamos de coração não é a realidade de muitas pessoas, que por muitos motivos foram privados desse ninho de segurança de que toda criança necessita para se desenvolver com segurança e amor.

São muitos os motivos que levam à essa realidade ruim, desde abandonos, agressões, maus tratos e como são vivências fortes, marcam profundamente uma criança que cresce com o fluxo da vida se transformando no que foi possível como pessoa.

Realmente é muito difícil para alguns homens desempenharem o papel de pais, pois essas marcas são tão reais e machucam tanto, que não conseguem dar aos filhos algo melhor, até porque nem sabem como fazer isso.

É muito mais fácil ignorar, abandonar ou mesmo reproduzir os mesmos comportamentos que foram aprendidos, afinal se ele sobreviveu sem as frescuras que chamamos de afeto, por que o filho também não pode viver igual?

Escrevi esse texto porque para uma infinidade de pessoas essas datas não agregam nada, somente reacende dores do passado, é como se a todo ano precisasse passar pela tortura de relembrar momentos ruins de sua vida. Mas também sabemos que o perdão se faz necessário, pois muitos filhos, inclusive muitos pais que também são filhos, acabam ainda sentindo-se culpados por não conseguirem perdoar os pais que o machucaram.

O ciclo da vida é interminável, todas as experiências vão sendo passadas de geração em geração, até que em algum momento um pai consegue transcender essas dores e transformar seu jeito de agir, sendo um pai diferente para seus filhos. Talvez você seja filho desse pai que conseguiu mudar, que teve recursos internos para dar o que não teve e assim iniciar um novo ciclo familiar onde o amor, o carinho, a compreensão e o amparo se fizeram presente de forma mais coerente e assertiva. E assim, essa data acaba sendo um momento de comemoração, de alegria genuína, de gratidão.

Quanto às outras milhares de pessoas que não tiveram a mesma sorte, o dia de hoje é mais um dia de rememorar a dor da ausência, da negligência, das agressões e da falta de amor.