Dias atrás, estava justamente trabalhando em meu consultório com um paciente, sobre como os conflitos e dificuldades que encontramos em nosso caminho são na verdade grandes oportunidades.

Normalmente não temos esse olhar, nos incomodamos com tudo o que causa constrangimento, que nos afeta, nos sentimos pressionados a tomar decisões ou mesmo posicionamentos que não são fáceis de enfrentar. Mas esquecemos que a vida é a universidade que nos permite aprender a nos relacionar, e como aprender se levantamos todas as nossas defesas contra essas situações?

Quando algo acontece e nos causa dor temos a tendência a nos fecharmos, nos sentimos agredidos e logo partimos em busca de arrumar argumentos para nos defendermos ao invés de entender qual é a lição.

Seria importante pensarmos o que a pessoa envolvida tem a nos ensinar, pois esta é a grande sacada que temos que ter. O que essa situação está me mostrando? O que preciso mudar em mim para isso não tornar a ocorrer? Por que me sinto agredida ou ameaçada nesses momentos? O que o outro está conseguindo enxergar em mim que não consigo entender?

Devemos desenvolver um olhar e uma escuta mais assertiva, pois não conseguimos ser bons alunos se não estamos abertos e aptos a entender o que o professor está tentando nos ensinar.

Talvez pensarmos em como colocamos o ego acima de tudo, inclusive da humildade em se olhar, se perceber como aluno perante diversas situações da vida. É tudo tão perfeito e maravilhoso, mas não conseguimos nem sequer chegar perto dessa oportunidade.

O que acha de experimentar ficar mais aberto para esses momentos? Isso não significa que tenha que se expor, permitir que o outro o agrida, o convite é somente para se dar uma chance de refletir de forma mais profunda sobre o que ocorre com você, comportamentos e situações que se repetem.

Afinal, nada ocorre por acaso, se uma situação parece te perseguir, talvez seja por que você está fazendo questão de ignorar e para você poder resolver, vai precisar parar e prestar atenção em algum momento.

Pense nisso!