Durante essa semana pude estar em contato com vários casos em que mulheres adoeceram em função de uma idealização de corpo irreal. São pessoas que apresentam formas normais, o que me deixa ainda mais apreensiva. Até quando essa cultura em que vivemos irá fazer vítimas?

O interessante é que não há argumento que sustente o contrário, pois vida para essas pessoas é estar magérrimo, ser feliz é se olhar no espelho e enxergar somente um esqueleto, um corpo sem formas, sem brilho, sem vida no olhar. Onde só é visível a obsessão, o desespero e a necessidade de controlar o que se come.

Ao mesmo tempo em que se atenta alcançar um eu idealizado, encontra-se  a quase morte, um estado de despersonalização, onde nada é mais forte do que o desejo da magreza.

Vivemos um momento em que estamos adoecidos, diversos fatores e problemas em nossa sociedade nos deixa claro as patologias, o quanto perdemos a noção do certo e errado, do bem e do mal, do que é felicidade real e algo que  idealizamos em nossas mentes.

Então recebo uma ligação de um familiar angustiado buscando ajuda, onde a impotência se faz clara, mesmo com todas as orientações médicas, se encontra-se sem saber como ajudar, em como salvar a pessoa que ama.

Esse discurso aqui nos remete à anorexia, mas veja, ela se repete a várias situações em que estamos sujeitos nesse contexto atual que passamos. E pergunto: até quando?

Quanto tempo ainda seremos tragados por mentiras, criações da mídia, propostas que visam somente a levar outras pessoas a lucrarem em cima do nosso desejo. Por que não podemos pensar e agir com liberdade? Somos facilmente manipuláveis, mesmo que você diga que não, ainda assim preste atenção, verá que também em algum aspecto se prende a conceitos errôneos que envolvem corpo, beleza, status, sucesso, saúde, etc.

E com a anorexia nos deparamos fortemente com conceitos que são criados por pensamentos distorcidos. Tentamos a todo custo lutar pela vida, enquanto a doença só busca a morte. Como brigar com milhões de marcas de roupas em que não há numeração acima do 40? Com a constante divulgação de produtos e alimentos que favorecem esse corpo inatingível para a maioria das pessoas?  Com uma sociedade que busca constantemente pelo poder, em que a felicidade está no ter, no comprar e no usufruir ao máximo, não importa o quanto façam pessoas infelizes ou mesmo estejam infelizes, sendo sempre mais fácil colocar fora o que devíamos encontrar dentro de nós.

Sim, somos responsáveis por todas essas patologias, então preste atenção no que defende, verbaliza e vende, pois cabe a nós criar uma realidade melhor.