Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O projeto é audaz e está em vias de se tornar real. Um grupo de holandeses, liderado pelo empresário Bas Lansdorp, lançou o Mars One, uma missão que promete levar terráqueos para habitar Marte. Mas a passagem, meus caros, é só de ida.

A ideia surgiu em 2012 e atraiu 202.586 interessados na missão. Quase três anos após seu lançamento, os organizadores divulgaram o resultado da terceira etapa de seleção, chegando aos cem pré-finalistas. E entre eles está a brasileira Sandra Maria Feliciano Silva, de 51 anos, natural de Bauru (SP), mas residente em Porto Velho (RO). Em seu perfil no site, consta que ela leciona administração, regulamentação da internet e negócios digitais na Faculdade Porto Velho, é autora de livros de ficção científica e apaixonada por aquários de água doce.

Sandra ao lado de um amigo no lançamento de seu livro. Crédito: Reprodução/Facebook

Sandra ao lado de um amigo no lançamento de seu livro. Crédito: Reprodução/Facebook

Entre os 100 finalistas, há 50 homens e 50 mulheres, sendo que 39 vêm das Américas, 31 são europeus, 16 asiáticos, sete africanos e sete da Oceania.

Desta lista, haverá um novo corte, até chegar a 40 nomes. No site oficial da Mars One, diz que os concorrentes serão submetidos a novos testes e que “irão se focar na composição de equipes que aguentem todas as dificuldades de um estabelecimento permanente em Marte”. Para isso, serão confinados em uma reprodução daquilo que seria uma colônia em Marte e passarão por avaliações diversas.

Ainda sem uma emissora interessada em transmitir o reality show, o cronograma está bem definido por parte de seus idealizadores. Assim que os 40 finalistas forem selecionados, passarão oito anos confinados aqui na Terra em uma reprodução daquilo que seria uma colônia em Marte. o público acompanhará pela TV e, em 2025, enviará os quatro mais votados para Marte.

Mas eles não serão os únicos, já que a intenção do programa é, a cada dois anos, levar outros quatro finalistas para Marte, até atingir o total de 40 pessoas.

“O grande corte de candidatos é um importante passo para encontrar quem tem o que é preciso para ir a Marte. Estes candidatos a marcianos darão ao mundo um vislumbre de quem serão os exploradores dos dias modernos”, disse Bass Lansdorp em comunicado.

Para viabilizar o reality show, os organizadores precisam levantar 4 bilhões de libras (equivalente a R$ 17,5 bilhões). Além das doações recebidas através do site oficial, espera-se que este valor entre em caixa através dos eventuais anunciantes que topem embarcar nessa jornada.