pixabay

Ainda hoje ele se sente

como o menino que foi

e em ruas sombriamente iluminadas

tocava as campainhas

casa por casa

 

Não dizia nada

quando vinham atender

porque era tímido

e imaginava que seus olhos tristes

explicariam tudo

 

O que diziam

seus olhos

sem falar

era me aceitem

me amem

me deixem entrar

 

Quem vinha à porta

homem ou mulher

dizia menino

que olhos lindos

o que você quer?

 

E trazia-lhe um doce

três balinhas

um pedaço de pizza

do dia anterior

 

E ele continuava

tocando as campainhas

e dizendo com seus olhos

me amem

me amem

me amem por favor

 

Até que todas as luzes

de todas as casas

se apagavam e

as campainhas também

imergindo no sono

se isentavam.