CRIANÇA

Nas últimas semanas, temos abordado os vários tipos de temperamento e como podemos ajudar nossos filhos, levando em conta as peculiaridades de cada um. Para isso é importante, também, os próprios pais se conhecerem muito bem e refletirem a maneira pela qual reagem a diversas situações.

Nesse sentido, é benéfico os pais se aceitarem e saberem que erram.

O casal precisa de conselho e da ajuda de familiares ou amigos para colocar metas de melhoria pessoal ou pontos específicos de luta.

Saber ouvir e ter disposição para mudar é importante para ter coerência com os valores e exigências para com os filhos.

Isso posto, hoje falaremos sobre os apaixonados.

Quem tem esse tipo de temperamento é emotivo, ativo e secundário (processa os acontecimentos antes de reagir).

Os apaixonados têm tendência a se fecharem em si mesmos, isolarem-se.  Ao mesmo tempo, são geralmente decididos; tem raciocínio rápido, independência, boa memória e senso prático.

Querem, portanto, dominar, e podem ser inflexíveis quanto a suas próprias opiniões e ideias.

A partir desses traços, o filho de temperamento apaixonado pode tornar-se melancólico e, ao mesmo tempo, ativo.

É suscetível e pode ficar mal-humorado e teimoso.

Mas se for bem educado, com argumentos racionais e autoridade, pode ser afetuoso, alegre e agradável.

Como motivar o filho com temperamento apaixonado?

1)      Tratá-lo com afeto e falar-lhe ao coração. Ao mesmo tempo usar explicações racionais para convencê-lo e nunca usar de ironia.

2)      Não deixar que ele se isole e proporcionar um ambiente aberto e otimista.

3)      É benéfico que pratique algum esporte e faça passeios em família.

4)      Ajudá-lo com uma formação religiosa reflexiva.

Fonte: Conheça o seu Filho de Ana Maria Costa