O período de férias escolares é maravilhoso para as crianças descansarem de um ambiente muitas vezes carregado de correria, pressa, ruídos e stress. A ideia é que consigam harmonizar os sentidos que foram sobrecarregados por uma infinidade de informações e impressões ao longo do semestre.

Uma pausa nos estudos garante aos neurônios e ao cérebro um descanso fundamental, uma “poda sináptica” necessária para conseguirem depois retomar os estudos de forma produtiva e revigorada.

Os pais precisam garantir que os filhos possam diminuir seu ritmo e voltem a ter tempo para simplesmente contemplarem as realidades em sua volta, a natureza e as pessoas – regressarem à calma interior e perceberem seus sentimentos. Alegrarem-se em captar de forma plena o ambiente à sua volta. Exercerem o “mindfullness” que é admirar e usufruir das coisas e pessoas de maneira simples.

Também poderem usufruir da companhia dos pais. Apenas estarem juntos e estreitarem os laços afetivos. É uma oportunidade de relacionamento mais intenso entre pais e filhos, de se conhecerem mais. Neste sentido, os programas de férias propriamente ditos deveriam ser vistos como meios para favorecer este convívio e não como fins em si mesmos.

Deus é simples e a alegria de viver está no simples. Os filhos muitas vezes não precisam de grandes eventos e viagens sensacionais. Principalmente os pequenos ficam felizes em simplesmente ter tempo para brincar e fazer atividades do cotidiano juntos: pintarem um quarto, concertarem móveis, fazerem um bolo, irem ao supermercado, desenvolverem um trabalho manual e outras. Também é rico que ajudem em atividades de manutenção e ordem como: lavar o carro, fazer arrumação dos guarda-roupas e etc.

Quando os filhos participam de rotinas em casa e têm encargos, pequenos que sejam, sentem-se importantes e parte da família. Todos precisam ajudar.

Pequenos encargos feitos por amor são toda a força da história humana. Nas palavras do papa emérito Bento XVI: – “Uma pequena partícula de amor parecendo tão débil é muito superior à máxima capacidade de destruição.”

Ao mesmo tempo as férias não são sinônimo de fazer o que quiser em qualquer horário. É benéfico a família fazer um planejamento de férias e colocar horários para dormir e levantar, as refeições, exercícios físicos, para atividades e jogos em família, leitura e passeios.

E naturalmente não deve faltar o bom humor!

Curta a nossa fanpge: https://www.facebook.com/educarparafelicidade/