A vida é muito simples
Nós seres humanos que a complicamos
O Amor é simples
Nós seres humanos que o complicamos
O amor é involuntário, espontâneo, lindo e delicioso de se viver
As vezes dói (por não ter a pessoa ao seu lado)
Mas se correspondido, o amor transforma, transborda, motiva, ilumina ahhhh é muita felicidade!!

Amei apenas uma vez
E foi tão intenso, verdadeiro e forte que até hoje, muito de mim, veio dele
Percebo em mim trejeitos, falas, caretas etc
Até a mania de apagar a luz do teclado no notebook, toda vez que ligo
E pensamentos, como se estivesse ao meu lado, sempre me dando sua opinião sobre tudo
Como apagar isto?
Se nem a distância e o tempo não apagou?
Como esquecer?
Se por anos pensei que havia superado e na verdade, sempre esteve dentro de mim
É como se este amor, fosse um “pedaço de papel dobrado”, mas tão dobrado que ficou bem pequeno
E como um papel bem dobrado e pequeno, ficou escondido dentro do meu coração
Como se fosse o único jeito de “calar a voz” deste amor
E um dia, você mesmo o despertou e eu o encontrei
E quando eu comecei a abrir este pedaço de papel, ele se tornou maior que eu
Era um amor imenso, absoluto e estava intacto, exatamente como eu o guardei…

Eu queria ter vivido este amor
Até ele acabar dentro de mim, até um de nós morrermos bem velhinhos
Ou até não reconhecer mais ele aqui dentro do coração
Até o fim, o fim mesmo

…………………………………
“Loving can heal
Loving can mend your soul
And it’s the only thing that I know
I swear it will get easier
Remember that with every piece of you
And it’s the only thing we take with us when we die”

Photograph – ED SHEERAN