[tweetmeme]O Psiquiatria e Sociedade está em festa.

Nesse mês completamos dois anos consecutivos no ar: em fevereiro de 2009 o blog estreiou na plataforma Stoa, da USP, e há um ano migrou para o wordpress, em razão do cadastramento no Research Blogging International. Até agora foram mais de cem artigos, publicados semanalmente, sempre procurando articular a vida comum e os fatos da sociedade geral com os avanços científicos. Esse diálogo, que tenho aprendido meio na marra, tem sem mostrado para mim cada vez mais instigante e também mais urgente. Urgente porque com o acúmulo de conhecimento e sua disponibilidade imediata, graças às ferramentas tecnológicas, as pessoas têm tido muita dificuldade para separar o que presta do que é bobagem e, depois, para aplicar em sua vida os novos conhecimentos. E instigante porque progressivamente mais complexo: às vezes pacientes chegam para mim com informações que eu mesmo não tinha, e preciso checar junto com eles, e se for o caso aceitar a sugestão; essa é uma tremenda inversão do modelo tradicional, e nem todos conseguem se adaptar a tal realidade.

Numa pesquisa publicada em 2008 nos EUA, estimou-se que 71% das pessoas busquem informações na internet sobre condições clínicas. Ótimo, quanto mais informação, melhor, certo? Mais ou menos: descobriu-se também que quase 40% das pessoas já duvidou da opinião ou do diagnóstico dado por seu médico em razão de haver conflitos com o que antes tinham lido na internet. E aqui estamos andando sobre gelo mais fino.

Não que o médico esteja sempre certo. Acredito mesmo que algumas vidas devem ter sido salvas por conta de gente que duvidou dos médicos. Mas nesse movimento vidas também podem se perder, pois raramente temos garantia da veracidade ou acurácia das informações obtidas on-line.

É por isso que existe esse blog. O papel do médico (e do professor, do consultor financeiro, do arquiteto etc, etc) será cada vez menos o de detentor das informações e cada vez mais o de gerenciador do conhecimento: ajudar as pessoas a lidar com o mundo de dados à sua disposição e a utilizá-los em seu melhor proveito. É o que procuro fazer, e espero poder continuar nesse diálogo pelos anos vindouros.

Fonte:

Documento

Envision solutions LLC. July 2008

PS – Como uma festa só é completa com presentes, no final do mês sortearei exemplares do Machado de Assis: a loucura e as leis entre as pessoas que nos acompanham no twitter. Passe por lá para ver as regras e arriscar ganhar um livro autografado.