(Foto: Diomari Madulara / Unsplash)

  • O adultério é uma solidão a três.
  • Ateu: aquele que não acredita em Google.
  • Como as finanças entraram no vermelho tive que alugar o meu orgulho próprio.
  • Príncipe encantado de hoje só se encanta consigo mesmo.
  • Gramático não morre: fenece, fina-se, vai-se, perece, expira, desvive.
  • A classe média é feita de frases feitas.
  • A girafa vive dando uma perna maior do que o passo.
  • Depois da era de aquário, não ficou um virgem.
  • Poeta de verdade não tira férias, nem pede licença poética.
  • Quanto mais livros sobre como se tornar escritor você ler, mais leitor continuará sendo.
  • Distribuição de renda no Brasil é responsabilidade da loteria federal.
  • A quarta-feira é o meio-dia da semana.
  • Morrer é não ter mais rotina.
  • Só não me suicidei ainda com receio do que vão comentar nas redes sociais.
  • Glândula pituitária: regula a quantidade de cachaça que o corpo humano suporta.
  • Não há mulher mais fértil que a mãe dos corruptos.
  • Quando damos a uma criança tudo o que ela quer, ela nos dá uma banana.
  • Tanta gente achando tudo fofo, não é a toa que estamos afundando.
  • Se o mundo fosse feito de sábados, não seríamos seres de segunda.
  • O pior voyeur é aquele que não quer ver.
  • Eu acredito nos meus sonhos, eles é que não acreditam em mim.
  • Estão sujando tanto o oceano que logo ele vai precisar de um banho de mar.
  • Se o sábado é a rosa da semana, a segunda é o comigo-ninguém-pode.
  • Era magro de ruim, mas uma boa pessoa.
  • Parei de beber. Água agora nem no gelo do gim e da vodca.
  • As pessoas se casam para acabar com a rotina e a rotina é o que acaba com os casamentos.
  • Talkshow. Para onde os humoristas vão quando morrem.
  • O sono é uma morte com bilhete de volta.
  • Amar a si mesmo é a forma moderna de monoteísmo.
  • O Homem é um fingidor / E finge tudo tão bem / Que diz ser civilidade / A rudeza que ele que tem.