Programa de anatomia de animais em 3D pode reduzir o uso de cobaias em aulas

Por Fábio Brito

20/05/2013, 02h25

   

A Biosphera, empresa especializada em desenvolvimento de aplicativos 3D, criou programas que prometem reduzir a utilização de bichos como cobaias em salas de aulas. Ela é a única brasileira especializada em fazer programas de anatomia em 3D de animais, em português, que permite realizar uma dissecção virtual do cão e do rato, que geralmente são usados em atividades de ensino e pesquisa.

ACOMPANHE O BLOG CONVERSA DE BICHO: FACEBOOK | TWITTER
rat_anatomy.jpg

“Graças à interação que o programa permite, é possível ver os órgãos em 3D separados ou observar sua relação com os demais sistemas. A vantagem também está na possibilidade de visualização de partes que nem sempre são fáceis de identificar em uma dissecção”, explica Victor Skrabe, biólogo e sócio-diretor da Biosphera.

Na solução é possível rotacionar o animal e visualizar todos os sistemas, em camadas, com diferentes combinações. O programa também permite verificar os nomes, formas e posicionamento das estruturas. Entre as possibilidades, o usuário pode isolar a musculatura do esqueleto, sistema nervoso, reprodutor e respiratório, entre outros, com poucos cliques do mouse. As imagens podem ser vistas de diferentes ângulos e graus de aproximação, com ótima resolução. Um recurso importante para ajudar os veterinários a explicarem sintomas e tratamentos aos donos, assim como uma ótima fonte de estudo para os alunos de medicina veterinária em seu aprendizado.

anatomia_canina_3.jpg

Para Roselaine Ponso, professora de anatomia da Universidade Federal da Grande Dourados, em Mato Grosso do Sul, o software é uma alternativa à utilização de corpos. “Ao receber o link do site de uma colega, adquiri o software e fiquei muito satisfeita. Verifiquei que ele é extremamente útil, após uma aula que dei sobre sistema circulatório. Usei como material adicional e os alunos gostaram bastante.”

Em pouco mais de três anos, a Biosphera já comercializou mais de mil softwares de anatomia, vendidos também para outros países, como EUA (o segundo maior comprador), Reino Unido, Alemanha, Coreia do Sul e Rússia.

Segundo Anne Cholette, do College Boreal, da cidade de Sudbury, no Canadá, o software de Anatomia Canina 3D, comprado pela instituição, será usado para ensinar em sala de aula os detalhes do corpo do cão. “Adquirimos o programa para usá-lo em demonstrações nas aulas do Veterinary Technician Program, a partir de setembro.”

Para Victor Skrabe, o sucesso está ligado ao compromisso com a qualidade, profissionalismo e o cuidado com os detalhes. “Temos médicos, veterinários, enfermeiros, professores e estudantes entre os nossos clientes. É um público exigente e que precisa do programa para demonstrar aos pacientes partes do corpo, dar aula e estudar. Por isso, temos o compromisso de nos aprimorar cada vez mais para oferecer um produto de qualidade.”

anatomia_canina_2.jpg

Para ter uma pequena ideia da complexidade no desenvolvimento desses programas tridimensionais, do início do projeto até o lançamento do software de anatomia canina, por exemplo, foram cerca de 20 meses de trabalho intenso, incluindo pesquisa, modelagem e programação. Só o cão tem mais de 300 ossos e o esqueleto é apenas a base da criação. “Porém, não podemos considerar que os desenvolvimentos dos softwares estejam completamente concluídos. Continuamos a trabalhar neles mesmo depois de serem colocados à venda, enviando atualizações com mais estruturas e correções a cada três ou quatro meses, sem custos adicionais”, explica Estela Yuka Yamamoto, veterinária e sócia-diretora da Biosphera.

Outro atrativo do software é o preço, que é baixo em relação ao custo de livros de anatomia – quase metade do valor. O software Introdução à Anatomia Humana 3D custa R$ 97, Anatomia Canina 3D é comercializado por R$ 96 e o de Anatomia Simplificada de Rato em 3D, apenas R$ 39. A licença de uso dá direito à instalação em dois computadores. Os softwares são compatíveis com o Windows XP, Vista, Windows 7  e 8, além do Mac OSX.

ACOMPANHE O BLOG CONVERSA DE BICHO: FACEBOOK | TWITTER