leelee_smiles/Creative Commons

De cada dez atendimentos que eu faço, sete reclamam de xixi e/ou cocô em local errado. Isso não é apenas uma coincidência. 70% dos abandonos no Brasil estão relacionados à dificuldade do cão ou gato aprender a fazer xixi no local certo. Mas o mais grave é que 70% das eutanásias em gato, na Europa, são por felinos que fazem xixi ou cocô pela casa, roupas, móveis, cortinas, etc.

Não saber fazer as necessidades como nós, humanos, exigimos é questão de vida ou morte (literalmente) para muitos cães e gatos. Por isso, eu vou desvendar os mistérios que estão por trás desses erros fatais.

Bebê usa fralda, e os animais?

thr3eSE7EN/Creative Commons

Quando um bebê fofinho nasce, já colocamos uma fraldinha nele. Isso porque ele não consegue controlar os esfíncteres, responsáveis por segurar o xixi e cocô. Aos poucos, ele aprende a controlar. Porém, algumas crianças, continuam a ter dificuldade, principalmente a noite, de segurar o xixi.

A solução, muitas vezes, é buscar um psicólogo para tentar entender o motivo desta situação, quase sempre, chata para os pais.

Os cães e os gatos também nascem com sem conseguir controlar o esfíncter. Dependendo do animal, pode demorar até 6 a 8 meses para amadurecer e controlar totalmente a vontade de fazer xixi.

Da mesma forma que uma criança, quando está brincando, tem dificuldade de parar para avisar seus pais que quer fazer xixi, o cão também não quer parar tudo, ir até a lavanderia, para se aliviar. Vai xixi para todo lado. Ele não faz isso por mal.

Neste caso, o ideal é restringir o espaço do animal, para facilitar o acerto, ou aumentar o número de tapetinhos higiênicos ou caixa de areia.

Tapete higiênico e seus similares

PETaPOTTY/Creative Commons

Cães são super higiênicos. Eles não gostam de encontrar um local sujo ou já usado, para se aliviar. Da mesma forma que gostam de ter conforto naquele momento sagrado.

Alguns tutores, para facilitar a limpeza, usam uma caixa com grade, para colocar o tapetinho higiênico dentro. Outros, compras caixas, sem nada dentro, que jogam xixi no ralo. Há ainda quem compre grama sintética, com caixa que escorre o xixi.

Se você utiliza uma dessas estratégias e seu cachorro se adaptou, meus parabéns! Se considere um caso raro. O mais comum é que o animal não tolere essas alternativas humanas. Além de deixar cheiro desagradável a eles, o toque com esses materiais não é agradável. Por isso, em alguns casos, o cão faz xixi ao lado desses engradados, mas não em cima.

O ideal, nos tempos atuais, é utilizar o tapetinho higiênico. Nada de jornal, viu?! Além de conter chumbo, pode não absorver o xixi adequadamente e deixar a pata do peludo úmida. Chumbo e umidade podem intoxicar e causar fungos, respectivamente.

Caixa sanitária e areia para gatos

Kerri Lee Smith/Creative Commons

Se os cães já são muito higiênicos, o que dizer dos gatos? Limpeza é sua marca registrada. Por isso mesmo, seu olfato é o sentido mais apurado. Para alguns, basta ter um restinho de xixi na areia, para que ele prefira o tapete mais próximo.

Por isso, o recomendável é limpar a caixinha de areia duas vezes por dia. Ah, e o número de caixas deve ser, no mínimo, o número de gatos + 1. Por exemplo, eu tenho três gatos e quatro caixas. Se você tem quatro gatos, deve ter cinco caixas. Tudo isso para aumentar a chance do bichano encontrar um banheirinho com menor odor de urina.

E se você está pensando “ah, mas eu uso sílica e não precisa limpar todos os dias, só tirar o cocô”; sinto lhe dizer: seu gato não te ama tanto, quanto poderia. A sílica é um dos piores materiais, na visão do gato.

Lembra que o olfato é o sentido mais apurado. Para você, a sílica absorveu o xixi e está sem cheiro. Porém, para ele, o xixi está mais do que presente e cheirando. Um prato cheiro para ele usar o seu tapete lindo, ou o seu sofá.

Outro campeão de reclamação dos gatos é o granulado grosso. Aquelas areias mais grossas, com os grãozinhos do tamanho de uma lentilha (ou maior). Não importa se for areia, madeira ou mesmo sílica, os gatos odeiam pisar e fazer suas necessidades neste tipo de substrato.

O ideal é buscar areias (nada de farinha de mandioca e afins!) próprias para gatos, que lembrem uma areia de construção ou mesmo uma terra. Isso porque os gatos em vida livre faziam suas necessidades em areia fina ou mesmo na terra fofa.

Ah, e não miguele na quantidade de areia. Se o gato não conseguir cobrir seus dejetos, sem deixar vestígio, ele também vai preferir o seu tapete. Por isso, coloque pelo menos 5 centímetros de areia na caixa.

E por falar em caixa, olha esse vídeo que eu fiz, falando dos 6 principais erros, em relação à caixa sanitária do gato.

Bronca!

Desde sempre, aprendemos a dar bronca quando o cachorro ou o gato faz xixi em lugar errado. Essa é a pior coisa que podemos fazer! Ao dar bronca, o animal pode se assustar ou ficar com medo e associar isso ao ato de fazer xixi. Ele pode começar a prender a urina e desenvolver uma doença por isso.

Mesmo que ele faça xixi na sua frente, no seu tapete persa, respire fundo, conte até dez e limpe o xixi. Depois que a raiva passar, reflita o que motivo deste erro.

Demarcação de território

Se a sua questão é demarcação de território, assista esse vídeo.

Principais motivos

– Será que ele ainda é novinho e não consegue controlar? Então devo deixar mais tapete

– Será que o substrato é o mais adequado para ele? Coloque outra opção de material em outro local da casa e faça o teste.

– Será que eu já dei muita bronca nele e agora ele está com medo? Recompense os acertos com carinho e petisco.

– Será que ele só faz xixi quando sozinho? Leve a um especialista em comportamento animal. Ele pode estar com ansiedade por separação.

Para entender melhor os motivos e como fazer o treino para aumentar os acertos, fiz esse vídeo.