Como estávamos cansados, aproveitamos a manhã para dormir e passear no calçadão. Cães não são bem vindos na praia de Miami Beach, por isso ficamos na grama mesmo.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Antes de fazer check out, fomos conhecer a piscina e os outros apartamentos do The Tides Hotel. O Stitch, que não é bobo, se apaixonou pela suíte presidencial, com uma linda vista para a praia.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Para sair de Miami Beach, pegamos o Uber. Nunca tinha usado e gostei muito. O Stitch adorou andar de Mercedes e até dormiu no banco confortável. Nosso destino era Downtown Miami, um apartamento que alugamos no Airbnb.

Quando você vier a Miami com o seu pequeno, não precisa ficar em hotéis. Você tem opções mais baratas, como aluguel de quartos ou apartamentos. Tem corretores específicos para locação de casa e apartamentos pet friendly. Eu aluguei tudo pela internet, mas antes confirmei se aceitava cães.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Já instalada no novo apartamento, pegamos outro Uber e fomos para IronSide Pizza almoçar. Além do restaurante ser super pet friendly (mesmo na chuva), todo o complexo onde o restaurante esta localizado também e pet friendly, incluindo a academia de boxe. São escritórios de arquitetura, decoração, designers e artistas plásticos.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Mesmo com chuva (muita chuva!) fomos conhecer o Doggie Bag Café, que fica dentro de um hospital veterinário. Nesse local, você pode levar seu cão para almoçar aos sábados. Há mesas com cadeiras específicas para cães e você pode pedir pratos de comida natural feitos exclusivamente para os peludos. Mas a melhor parte é a sobremesa: cookies e biscoitinhos de todos os formatos e cores. Deu vontade de comprar todos. Ainda bem que o Stitch não consegue comer (ele só tem dois dentes).

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Quando eu estava indo embora, resolvi perguntar, como quem não quer nada, sobre a documentação para voltar para o Brasil com o Stitch. Para a minha surpresa, descobri que o documento de vinda não é válido para a volta. Assim como no Brasil, terei que pegar um atestado com o veterinário daqui e depois agendar um horário no governo americano para tirar o certificado de viagem. Devo fazer isso uns três dias antes da viagem.

Depois dessa noticia, até me deu fome. Passamos em frente a um restaurante vegano e resolvemos parar. Como estava chovendo, as mesas de fora estavam interditadas, mas a atendente logo permitiu que entrássemos no estabelecimento para comer. Como estava molhada e com frio, pedi uma sopa. O Stitch ganhou água e muito carinho.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Na hora do jantar, fomos à Brasserie Central, que fica no shopping Village of Merrick Park. Pena que estava chovendo, pois o lugar é maravilhoso, cheio de mesas ao longo do jardim. Mesmo assim, ficamos embaixo de uma marquise e nos deliciamos com a cozinha francesa. São varias as opções de bares e restaurantes que ficam abertos o dia todo, das 11h às 23h. Vale a pena o passeio.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Por conta da chuva, não pudemos andar muito, então aproveito para contar sobre alimentação durante a viagem.

O que dar para o cachorro comer durante a viagem

Como o Stitch é velhinho e tem problema de coração, eu decidi dar para ele alimentação natural. Em ultima hipótese, dou ração sênior para ele. Algumas pessoas acham estranho dar esse tipo de alimento, pois necessita preparo diário ou a cada três dias. Para quem não gosta de cozinhar, há varias opções de porções prontas.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

A alimentação natural está na moda. Muitos empreendedores observaram isso e desenvolveram comida fresca ou congelada para os pets. Basta você buscar no Google ou Instagram que você encontrara pelo menos três marcas. Uma delas vende a comida dentro de latas. Como se fosse lata de milho verde. Por ser mais fácil de carregar, escolhi essa marca e trouxe para a viagem. Assim, posso levar para todo lugar. O Stitch come uma lata por dia, em média.

Dicas

– Sempre tenha com você um pote para servir água e outro para comida. Oferecer bastante água é fundamental.

– No verão, traga um guarda chuva. Pode chover a qualquer momento, mesmo quando o céu está azul.

– Ao chegar aqui, compre um chip (simcard) para seu celular. Se eu tivesse feito isso, não teria ficado na rua, embaixo de chuva, esperando um taxi.

Em breve, mais histórias. Tudo vai depender da chuva…

Para mais fotos e vídeos, siga @luizacervenka no Instagram.