Patrick Feller/Creative Commons

Patrick Feller/Creative Commons

Nos dias de hoje ainda é comum ouvir histórias sobre gato preto e azar. Pode parecer absurdo, em pleno século XXI, mas ainda acontece. Para mostrar que tudo isso é pura maldade com o bichano, a ONG Adote um Gatinho colocou Lucky, um gato preto, a prova. E não é que deu sorte mesmo!

Na última semana fui convidada para um jantar entre amigos. Estávamos em dez pessoas. Muitos tutores de cães e gatos. Assim, o assunto pet surgiu com facilidade. Um dos convidados mostrou as fotos de seus gatos, dentre eles um pretinho muito simpático. Outra convidada falou sobre sua fêmea com longos pelos negros. Para finalizar, contei a história de resgate do meu Félix, o gato pantera preto, que convive docilmente comigo.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Para surpresa de todos, uma das convidadas, tutora de cachorro, muito sem graça, confessou sobre sua repulsa por gato preto. Ao ser questionada sobre o motivo, ela confirmou a superstição: “eu tenho medo de gato preto cruzar o meu caminho. Sei que não dar azar, mas prefiro evitar”.

Todos saíram em defesa dos felinos negrinhos, explicando o quão dóceis podem ser, mas muito rejeitados. Foi quando contei sobre o episódio ocorrido no ano passado com o Félix, em uma sexta-feira treze, que tentaram pegá-lo para sacrifício. Além de dar azar, algumas pessoas acreditam que eles são mágicos e podem realizar milagres. Por isso, pegam para fazer trabalhos místicos.

É difícil de acreditar, que esse é um cenário ainda atual e um assunto tão debatido permaneça da mesma forma a há milênios.  Graças a esse mito, muitos felinos negros ainda esperam por um lar seguro e cheio de amor. Com objetivo de quebrar essa maldição humana, a ONG Adote um Gatinho inscreveu Lucky, um gato preto para adoção, em diversos sorteios e promoções.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Pasme! Lucky trouxe mais sorte do que o esperado. O gato ganhou 18 promoções, recebendo diversos prêmios, que vão desde um tablet, passando por assinatura de TV, headphones, mochila, aula de yoga, Playstation, além de bicho de pelúcia, massagem, caneca, cestas de chocolate, kit de beleza, ração, bolo gourmet e até refrigerante grátis no McDonald’s. Nada mal para um gato preto, não?

Asmaa Dee/Creative Commons

Asmaa Dee/Creative Commons

E com o objetivo de mostrar, que assim como o Lucky, gato preto dá sorte, a ONG criou um vídeo que explica a grande rejeição dos gatos pretos no momento da adoção. “A ideia é conscientizar as pessoas de que tudo não passa de uma grande lenda, os gatinhos são todos iguais,” explica Susan Yamamoto, sócia-fundadora da Adote Um Gatinho. “O que muda é pelagem, ou seja, a roupinha que cada gato está usando. Não existe isso de gato preto dá azar, tem que ser muito ignorante para deixar de oferecer casa e amor para um gatinho por conta de um mito que tem suas origens na Idade Média” completa.

De tão sortudo, Lucky ganhou também um perfil no Facebook para ostentar seus presentes. Uma série de memes e gifs serão compartilhados em sua página para engajar as pessoas a quebrarem essa corrente mística de forma divertida. Além disso, todos os produtos que o gatinho ganhou farão parte de um leilão. Toda a renda será revertida em prol da ONG.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Para quem quiser adotar, Lucky tem aproximadamente 9 anos. Foi resgatado de uma acumuladora quando ainda estava mal e fraco. Está com a Adote um Gatinho há quase 3 anos. É fofo, carinhoso, adorador de colo e amassador de pãozinho (gateiros, entenderão!). Ele tem uma doença renal controlada, mas precisa tomar soro subcutâneo três vezes por semana. Além da conscientização, com esta ação também espera-se que Lucky seja adotado em breve, para fazer a felicidade de um humano.

Agora entendi porque eu não ganho nenhuma promoção. Da próxima vez, colocarei o nome do Felix. Vai que ele também é um gato preto sortudo…