vnysia/Creative Commons

vnysia/Creative Commons

Férias de julho chegando… Você já programou sua viagem? Mas o que fazer com os bichinhos durante as férias? Veja as dicas para você levar ou deixar seu pequeno em segurança.

8 Kome/Creative Commons

8 Kome/Creative Commons

Fazer as malas é sempre um momento de tensão para o pet. Para quem quiser levá-lo para viajar, deve ter alguns cuidados. Se o passeio for de avião, programe-se para pedir o laudo para um veterinário, ter a carteira de vacinação em dia e confirmar se a companhia aérea aceita cães e em que condições. Consulte sempre a companhia aérea antecipadamente, de preferência, antes de comprar a passagem.

Foto: Luiza Cervenka Modelo: Pérola

Foto: Luiza Cervenka
Modelo: Pérola

Se sua viagem for longa e seu pet for acostumado a ficar tranquilamente, durante tempos longos, dentro da caixa de transporte, você pode optar em levá-lo com você.

Nem todos os animais estão aptos para uma viagem aérea, e isso não depende apenas do estado de saúde. Restrições especiais aplicam-se aos animais de certas raças, idade ou condições físicas e comportamentais.

dslrnovice/Creative Commons

dslrnovice/Creative Commons

Algumas raças de cães e gatos possuem restrições, como animais de focinho curto, chamados braquicefálicos (cães: Buldogues, Pug, Boxer, Shitzu, pequinês; gatos: Persa, Himalaio, Exótico entre outros). Outras raças, com comportamentos específicos, não são aceitas nem para ir no compartimento de bagagens, como Mastin, Pit Bull, Rottweiler, Dogo Argentino e Fila Brasileiro.

A temperatura também é um fator de restrição de transporte de animais. Viagens a regiões com temperaturas muito extremas não são recomendadas, esteja atento à época do ano na qual realizará a viagem, bem como o horário do voo e as temperaturas nos locais de saída e de chegada.

Não são todos os destinos que permitem animais, e nem todas as aeronaves. Para levar o pequeno na cabine, junto com o dono, deve seguir algumas normas, que varia de acordo com a empresa.

Miss Chien/Creative Commons

Miss Chien/Creative Commons

Segundo a Gol, para ser transportado na cabine, o animal precisa estar dentro do kennel (contêiner) resistente, feito de fibra ou plástico rígido, com 22cm de altura x 43cm de profundidade x 32cm de largura, e conter dados de identificação do dono do bichinho. O animal deve ter espaço suficiente para dar uma volta completa em torno de si. São aceitos todos os tipos de cães ou gatos, com idade mínima de quatro meses e peso máximo de 10 quilos (incluindo o kennel). Os animais precisam estar em boas condições de higiene e ter todas as vacinas em dia.

bztraining/Creative Commons

bztraining/Creative Commons

Na Tam, o transporte é permitido apenas para cães e gatos e pode ser realizado na cabine de passageiros (apenas em classe econômica) ou no porão da aeronave, de acordo com as condições para embarque de animais. Para viajar na cabine, os pets devem pesar, juntamente com o kennel, até 7 quilos. Acima deste peso, os animais devem ser embarcados no porão da aeronave. Animais com peso acima de 45 kg devem ser transportados pela TAM Cargo.  Todas as opções possuem controle de temperatura e pressão, e no compartimento de carga a iluminação é mantida. Visando a integridade física, a saúde e a segurança dos animais, a empresa tem critérios específicos quanto a raças. A reserva do animal deve ser feita o quanto antes, pois há um limite de 3 animais por voo.

Algumas aeronaves não permitem levar o pet na cabine. Nem todas as companhias permitem que o animal viaje com seu dono, principalmente se for voo internacional. Consulte sempre a companhia aérea antecipadamente.

Thomas van de Vosse/Creative Commons

Thomas van de Vosse/Creative Commons

A dica mais importante de todas, para viajar de avião, é NÃO SEDEM O ANIMAL!!! Muitos acham que dar sedativos faz com que eles sofram menos, mas só piora quando eles acordam e se assustam. Inclusive, algumas empresas, como a Tam, não transportam animais sedados. Converse com o veterinário para que ele indique algum tranquilizante ou similar.

Dicas de como acostumar seu pet na caixa de transporte.

Se sua viagem for de carro, relembre as dicas aqui.

Você já sabe em qual hotel vai ficar?

Foto: Turismo 4 Patas

Foto: Turismo 4 Patas

Uma ótima opção para aproveitar as férias com tranquilidade é escolher um hotel que aceite receber os peludos também. “Hoje, os donos de pets estão considerando a aceitação de animais (ser pet friendly) como fator prioritário na escolha pelo roteiro e locais. E o próprio mercado já percebeu isso” comenta Larissa Rios do Turismo 4 patas. Eles não são uma agência de turismo, mas tem uma plataforma online, que indica hotéis em várias cidades.  A empresa também oferece opções de passeios e diversão para cães e donos.

Foto: Turismo 4 Patas

Foto: Turismo 4 Patas

Mas seu você não quer ou não pode levar seu pet, há inúmeras possibilidades para seu pequeno curtir esse período. Dependendo da personalidade do seu peludo, você pode escolher deixa-lo em hotelzinho ou hotel fazenda, chamar uma petsitter para cuidar do seu pet na sua casa ou até deixa-lo hospedado na casa de um anfitrião. Opções não faltam para seu bichinho ficar confortável e feliz, mesmo na sua ausência.

Foto: Familia4Patas

Foto: Familia4Patas

Quem tem gato sabe a dificuldade de viajar e achar um lugar para deixar os felinos. Foi pensando nisso que a gateira Maria Eliza criou, em São Paulo, um hotel só para gatos. No Família 4 Patas, os gatos são separados por famílias, em quartos temáticos, lotados de brinquedos e arranhadores. Não é apenas um local para deixar o gato, mas para ele brincar, se divertir e ter toda atenção e dedicação dos funcionários, que são loucos por animais. Tudo isso com câmeras 24 horas, para os donos ficarem tranquilos e seguirem toda a diversão, até a noite. “A primeira hospedagem foi de uma família de 6 persas. A dona não viajava há 6 anos, pois não tinha com quem deixa-los. Eles já se hospedaram três vezes e a dona pode viajar sem preocupação” confidencia Maria Eliza. A empresa formada por biólogos atende, em casa, animais de estimação, digamos, inusitados, como cobras e aranhas.

Foto: Clube de Cãompo

Foto: Clube de Cãompo

Se você tem um cachorro, animal social e super ativo, pode deixa-lo no Clube de Cãompo, em Itu/SP. E não precisa levar até lá! O Clube tem transporte climatizado, que busca o cãozinho onde estiver, incluindo capital paulistana, cidades da grande São Paulo e até litoral. Com 60.000m2 de muita diversão e atividades, o Clube oferece diferenciais como amplos espaços em meio à natureza, chalés individuais e departamentos separados por porte de animal. O espaço ainda conta com assistência integral de veterinários e banho incluso. Você pode contratar serviços de natação, agility e até adestramento.

Foto: Dog Hero

Foto: Dog Hero

Para cães que estão acostumados a dormir na cama e conviver com humanos, a Dog Hero oferece anfitriões, que recebem os dogs em suas casas, com valores para todos os bolsos. O dono recebe fotos e relatório diário, para ficar tranquilo e curtir a viagem. Alex Dupas, músico de blues, é um dos anfitriões e recebe cães em sua casa. Com a correria do dia a dia, Alex e a esposa Silvia optaram por não ter cachorro, mas sempre sentiram falta de um rabinho abanando quando chegassem em casa. “Receber os cães como hóspede, alegra a casa. Quando eles vão embora, nós sentimos” conta o músico que toca blues para acalmar os peludos.

Foto: Pet Anjo

Foto: Pet Anjo

Mas e quando o pet não gosta ou não pode sair de casa? Basta ligar para a Pet Anjo e contratar um Anjo, que é como eles chamam os pet sitters. Com atendimento em São Paulo, Florianópolis e Porto Alegre, a empresa foi desenvolvida pela Veterinária Comportamentalista Carolina Rocha. “Todos os anjos passam por um treinamento e workshops mensais, incluindo bases do comportamento animal e primeiros socorros” explica Dra. Carolina. Com um currículo cheio de histórias lindas, a Pet Anjo já atendeu animais de diversas espécies. Preocupados com o bem estar e saúde do animal, os anjos são mais do que cuidadores, fazendo jus ao nome. Um dos casos comovente, foi o de um senhor que precisava viajar para tratar sua saúde. Sem ter com quem deixar suas duas gatas, contratou a Pet Anjo. A anja percebeu que as gatinhas estavam com problemas de pelo e vermes. Recorreu à rede de veterinários conveniada. Quando o dono voltou, as gatinhas estavam bem melhor e sem parasitas.  Além do serviço de pet sitter, a empresa oferece dog walkers.

Com tantas opções, a viagem não será mais um problema. Mas se você não for viajar, há inúmeras opções de passeios, eventos e locais para ir com seu cão. A partir desta sexta-feira, dia 26/06, você terá dicas semanais do que fazer no final de semana. Para os curiosos de plantão, vou dar uma palhinha de um evento que já teve: uma festa junina para cães.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Cris Berger - Guia Pet Friendly Modelo: Stitch

Foto: Cris Berger – Guia Pet Friendly
Modelo: Stitch

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka