elycefeliz/Creative Commons

No dia 20 de julho é comemorado o Dia do Amigo. E quem disse que a amizade precisa se restringir às relações humanas? A frase clichê de que os animais são os melhores amigos do homem nunca foi tão verdadeira. Não existe amizade mais sincera do que a existente entre alguns animais e o homem.

E, essa relação já vem de longa data. Os animais vêm sendo um componente central da vida humana há milhares de anos. Uma pesquisa inédita realizada pelo IBOPE Inteligência, em parceria com o Centro de Pesquisa Waltham e o Professor Doutor Ricardo Dias, docente da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de São Paulo (USP), comprovou a conexão emocional dos brasileiros com animais de estimação, aspecto evidenciado pela intenção de 100% dos entrevistados que não possuem pets em ter um, sendo que 90% deles pretendem adquirir um cão e 20% um gato.

Phil Dolby/Creative Commons

Os benefícios dos animais de estimação para a saúde e o bem-estar dos seres humanos é um assunto amplamente estudado. Como resultado, constatou-se que os pets representam uma parte essencial da sociedade e fornecem um apoio valioso em facilitar a interação humana e os contatos sociais, além de proporcionar companhia. As evidências científicas têm demonstrado os inúmeros benefícios advindos dos pets, não só para os seus tutores, mas também para a sociedade como um todo. Estudos comprovam que compartilhar bons e maus momentos da vida com um animal de estimação, pode ajudar as pessoas a se manterem mais felizes e saudáveis.

Observa-se, ainda, que pessoas com animais de estimação têm respostas fisiológicas mais saudáveis ao estresse, inclusive frequência cardíaca e pressão sanguínea de base mais baixas. Outro aspecto observado nos estudos foi a base hormonal do vínculo entre humanos e animais, que demonstrou picos de oxitocina (hormônio responsável, entre outras funções, por desenvolver apego e empatia) tanto nas pessoas, quanto em seus cães quando interagem positivamente.

Embora essa relação seja repleta de benefícios, é importante haver muita responsabilidade na tomada de decisão de se ter um animal de estimação, afinal de contas, trata-se de uma vida e do estabelecimento de um vínculo repleto de responsabilidades.

Pessoas com cães são mais sociáveis

freestocks.org/Creative Commons

Donos de animais de estimação possuem conexões sociais mais fortes com seus vizinhos do que aqueles que não possuem pets, de acordo com um estudo recente da Universidade da Austrália Ocidental (University of Western Australia).  Tal pesquisa atesta que essas pessoas estão mais propensas a desenvolver uma relação de amizade e confiança, fortalecendo assim a tese que ser tutor de um animal de estimação é um fator valioso e positivo na vida da comunidade e da vizinhança.

“A noção de que os animais de estimação facilitam o relacionamento vai além do papel geralmente investigado deles serem um ‘quebra-gelo’ entre as pessoas”, disse a Dra. Lisa Wood, líder da pesquisa. “Estávamos interessados em saber até que ponto os pets facilitam as interações sociais e criam os laços que mantêm as comunidades unidas”.

A pesquisa avaliou vários aspectos de vínculo afetivo tais como ajuda, amizade, confiança. Ser tutor de um pet está associado com maior predisposição para interação, quando comparado com pessoas que não têm pets.

Pierre Metivier/Creative Commons

“As associações mais fortes observadas para aqueles que passeiam com o cachorro, podem estar relacionadas com o papel da atividade ser uma maneira de aumentar a vigilância da vizinhança e as percepções de segurança dentro de uma comunidade”, disse Lisa Wood. “Em geral, os animais de estimação ajudam nos primeiros encontros entre vizinhos e, frequentemente, são assuntos para conversas”.

“O estudo acrescenta mais apoio a esta agenda e para o estabelecimento de cidades, municípios e acomodações petfriendly. A disponibilidade de parques e espaços abertos adequados para passear com o cachorro é essencial para o bem-estar dos animais e para que as pessoas experimentem por completo os benefícios de ser tutor de um animal de estimação”.

Apesar de todos esses efeitos positivos na relação humano-animal, os animais de estimação também são responsáveis por grande frustração. Porém isso só acontece quando há uma escolha feita de forma equivocada, sem haver uma grande pesquisa prévia à aquisição do peludo.

Reflita sobre a escolha de um animal de estimação

ArTeTeTrA/Creative Commons

Um pet fará parte de uma família por anos e, por isso, é importante reservar tempo para pesquisar sobre o animal de estimação que mais se encaixa no estilo de vida e perfil da família, bem como planejar sua chegada e integração. Há quem esqueça que cuidar de um animal exige tempo para oferecer carinho, levá-lo ao médico veterinário, passear e proporcionar o mínimo de bem estar a ele, dentro das suas necessidades.

Muitas devoluções ou abandono de animais está ligado ao trabalho de limpar as fezes e xixi, comportamentos de destruição, viagens da família, mudança, xixi em local errado e até agressividade. Todavia, se a decisão de ter um amigo peludo em casa for feita com calma, levando em consideração tudo que será preciso para garantir a saúde e bem estar dele, as chances de frustração são menores. Nada de adquirir um pet no impulso, só porque ele é fofinho.

Marco Verch/Creative Commons

Confira algumas dicas sobre posse responsável para uma decisão consciente de se ter um pet:

– Pesquise sobre o animal e veja se ele é compatível com o seu estilo de vida e perfil familiar.

– Considere que o tempo médio de vida de um animal é de 12 anos. Pergunte à família se todos estão de acordo, se há recursos necessários para mantê-lo. Verifique quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados. Não haja por impulso.

– Caso já tenha outros animais em casa, apresente o novo morador de forma gradual e fique sempre atento à convivência.

– Mantenha o pet sempre dentro de casa, jamais solto na rua.

– Castre machos e fêmeas. A castração é a única medida definitiva no controle da procriação.

– Todo pet precisa de alimentação de qualidade, que leve em conta suas necessidades, e muita água fresca e limpa.

– Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento, vacinas e leve-o regularmente ao médico veterinário.

– Zele também por sua saúde psicológica. Dê atenção, carinho, brinquedos para destruir, ambiente adequado e reserve um momento do dia para as brincadeiras.

– Ao pensar em ter um peludo, não se esqueça que pets adultos também podem se adaptar com facilidade a sua casa, com mais tranquilidade e com menor destruição.

Aproveite o dia do amigo e paparique muito seu peludo. Saia para dar uma volta, compre a comida que ele mais ama e faça muito carinho. A oxitocina (hormônio da paixão) faz bem a todos, humanos e animais.