Foto: Divulgação Total Alimentos

A higiene é uma característica forte nos gatos. Eles não conseguem deixar suas fezes à mostra e não ficam tranquilos enquanto não as enterram. Por isso, um dos primeiros cuidados que se deve ter ao adotar um felino é providenciar a caixa de areia para gato.

Como os gatos são mini onças, mantém seus hábitos ancestrais, como a caça. Exatamente por ser caçador, ele tem a necessidade de esconder seus dejetos, para não atrair predadores e nem afugentar possíveis presas. Assim, o comportamento de enterrar urina e fezes é de extrema importância para segurança e bem estar dos gatos domésticos.

Mas na hora de comprar os acessórios para o novo membro da família, é normal surgir aquela dúvida: quantas caixas precisa ter? Qual o tamanho adequado da caixa? Precisa de uma para xixi e uma para as fezes? Qual a melhor areia? Quanto de areia precisar ter na caixinha? Qual a frequência de troca de areia?

Bryan/Creative Commons

 

1) Quantas caixas de areia devo ter em casa?

Segundo médico veterinário da Naturalis e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado, entender o comportamento do gato é um dos principais cuidados para saber o que ele precisa. “Saber que os felinos possuem instinto territorialista já dá uma pista importante sobre as preferências dele e seus hábitos” afirma.

Cada felino precisa ter a sua própria caixa de areia, compartilhar o mesmo espaço não é um dom do seu companheiro e não será diferente na hora de fazer suas necessidades.

O recomendado é que você tenha 1,5 caixa de areia para cada gato. Sendo assim, se tem um animal, providencie duas caixas higiênicas; se tem dois, cuide de deixar três caixas à disposição dos seus companheiros. Seguindo essa regrinha, não tem como errar.

Além do número de caixas, é importante se atentar para os locais das caixas. O erro mais comum de quem tem mais de um gato é colocar duas ou três caixas, todas no mesmo lugar. Porém, pode acontecer de um dos gatos não permitir o acesso do outro ao local. Por isso, deixe uma caixa em dois ou três espaços diferentes da casa. Lembrando que estes espaços devem ser longe da água, ração, arranhador e caminha.

2) Existe um tamanho ideal de caixa?

São diversos tamanhos e modelos de caixas sanitárias disponíveis no mercado. O tamanho ideal é aquele que seu gato consiga entrar e se movimentar sem esforços dentro. Gatos mais jovens não costumam se importar se tiver que escalar ou abrir portas para entrar na caixa. Todavia isso não tão simples para um gato adulto ou velhinho.

É muito comum que gatos com mais de sete anos comecem a ter dores articulares. Assim, subir em algum lugar ou mesmo pular uma caixa alta pode se tornar muito dificultoso. Se ele sentir qualquer desconforto, preferirá utilizar um tapete ou mesmo uma roupa que ficou no chão. Por isso, para gatos mais velhos, o ideal é que a caixa seja baixa e grande.

Laura LaRose/Creative Commons

3) Xixi e cocô na mesma caixa?

No que diz respeito à separação de uma caixa para urina e uma para as fezes, você pode fazer um teste logo que seu pet chegar em casa. Alguns gatos não ligam de fazer na mesma, mas outros só aceitam se tiver caixas separadas. A indicação é sempre ter uma caixa a mais do número de gatos para facilitar a expressão do comportamento de limpeza, como fazer xixi e cocô em caixas separadas.

4) Qual a melhor areia?

Essa pergunta é bastante pessoal, tanto do tutor, quanto do gato. Há gatos que não gostam de utilizar areias com grão grandes, pois pode causar desconforto na pata. Já outros não gostam de areias que liberam algum tipo de pó, após serem usadas.

Uma dica é colocar um tipo de areia em cada caixa e ver como seu gato vai reagir ou qual irá preferir.

Apesar dos humanos gostarem das areias com cheiro floral, normalmente este odor pode ser irritante para o gato. É comum também que as pessoas utilizem farinha de mandioca para fazer a areia render mais, formar torrão mais duro e minimizar o cheiro. Todavia, já existe no mercado produtos específicos para gatos, que diminuem o odor da urina e fezes, sem a possibilidade de gerar alergias ou incômodos respiratórios.

5) Quantidade de areia

Não adianta colocar pouca areia, para que renda mais. Os gatos gostam de enterrar seus dejetos até cobri-los totalmente. Colocar pouca areia pode deixá-los estressados e fazer com que eles procurem outro local para urinar. Por isso, o ideal é ter 5 centímetros de areia na caixa. Se por acaso baixar, deve-se completar com areia nova, para sempre manter o mesmo nível.

kanel/Creative Commons

6) Frequência de troca de areia

Quando nós, humanos, vamos ao banheiro, já damos a descarga para evitar maus odores e manter a higiene. Se o gato pudesse, faria o mesmo. Por tanto, o ideal é que a areia seja limpa a cada utilização. Todavia, com a nossa rotina corrida, nem sempre estamos em casa para verificar a areia. Mas mesmo assim, é importante que a areia seja limpa pelo menos duas vezes ao dia. Gatos não gostam de encontrar xixi e cocô antigo. Isso pode fazer com que ele procure outro local para fazer.

A limpeza total da caixa pode ser feita a cada 15 dias. Neste momento, toda a areia deve ser retirada da caixa e descartada. Limpe as partes internas e externas da caixa com desinfetante próprio para pets. Nada de usar água sanitária, sabão em pó ou álcool.

7) E se ele não usar a caixinha?

Se seu gato não aceitou a caixa de areia ou parou de usá-la, a primeira coisa a se fazer é correr ao médico veterinário. Os gatos escondem muito bem suas dores e desconfortos. Uma das formas de observarmos que algo não está bem como bichano é a recusa da caixa de areia.

O momento de fazer xixi e cocô é crucial para entendermos sobre o estado de saúde e emocional do nosso bichano.