blogmetabolismo

Bem que eu gostaria que todas as dicas que vejo na internet de alimentos que ‘aceleram’ o metabolismo funcionassem. Bastaria tomarmos bastante café todos os dias, consumirmos canela, pimenta ou gengibre com muita frequência e estaríamos todos magrinhos. Mas a realidade é bem diferente disso. O metabolismo pode ser definido como um conjunto de reações químicas que fazem o nosso organismo funcionar. E o seu funcionamento é bem complexo e varia de acordo com características genéticas, idade, sexo, questões hormonais, hábitos alimentares e com o nosso gasto diário de energia, isso só pra começar. Mesmo assim, é possível fazer com que ele trabalhe bem, basta seguirmos algumas dicas simples, que são úteis para a nossa saúde em geral.

 

-Tenha sempre uma alimentação balanceada

O consumo diário de frutas, verduras, legumes e cereais integrais é fundamental para o nosso bom funcionamento, pois eles são fontes de micronutrientes (vitaminas e minerais) e compostos bioativos, que encaminham os macronutrientes (proteínas, gorduras e carboidratos) para os seus devidos lugares. Esses grupos de alimentos também devem ser ingeridos diariamente. Cada um deles é como um ingrediente de uma receita. Dificilmente um bolo ficará bom se esquecermos o fermento, os ovos, a água ou a farinha, por exemplo, também não adianta colocarmos fermento, ovos, farinha ou água em excesso. Apenas quando todos esses reagentes estiverem reunidos, nas devidas quantidades, é que as reações químicas que nos fazem funcionar poderão ocorrer.  

 

-Não passe mais de 3 horas sem comer

Quando nos alimentamos a cada 3 horas estamos dando energia para o nosso cérebro com a frequência que ele necessita. Dessa forma, o nosso organismo se sente seguro para utilizar a gordura e transformá-la em energia. Se isso não acontece e privamos o cérebro desse combustível (que só o alimento proporciona) entramos em um estado de defesa e o nosso metabolismo é desacelerado. Ele reserva a gordura para uma possível situação de urgência e utiliza a nossa proteína para nos dar energia. Se esse processo for constante irá nos trazer consequências ruins, como flacidez, queda do sistema imunológico, irritabilidade, queda de cabelo e enfraquecimento das unhas, por exemplo.    

 

-Beba pelo menos 2 litros de água por dia

Consumir bastante água é uma dica importante para qualquer que seja o seu objetivo. Nesse caso, é ela quem transporta os micro e os macronutrientes, otimizando as reações químicas entre eles. Parece que todo mundo sabe da importância de uma boa hidratação, mas podemos contar nos dedos aquelas pessoas que realmente conseguem tomar 2 litros de água por dia. Faça o teste. Quantos litros de água você bebe por dia? Não vale refrigerante, café, sucos industrializados, nem bebida alcoólica.

 

-Faça atividades físicas regularmente

É verdade que a atividade física eleva o nosso gasto basal de energia, ou seja, aumenta a quantidade de energia que gastamos para realizar as nossas funções básicas, mas isso só acontece quando a praticamos corretamente, ou seja, bem alimentados. O ideal é comermos algo pelo menos uma hora antes dos exercícios. Sem uma alimentação balanceada, também fica difícil nos beneficiarmos dos exercícios porque não estamos oferecendo a matéria-prima necessária para a formação do músculos, ou da massa magra, que é a responsável por essa ‘aceleração do metabolismo’.

Se todos os itens acima forem cumpridos e apenas se isso acontecer, alguns alimentos ou substâncias podem ajudar a acelerar o metabolismo, como a canela ou o gengibre, por exemplo. Já a cafeína, que é muito relacionada com essa função, só irá cumpri-la se for consumida em excesso, o que certamente trará danos à saúde, a curto, médio ou a longo prazo. Dependendo da predisposição genética, o excesso de cafeína pode provocar sintomas que vão desde uma irritação da mucosa estomacal, até enxaquecas, irritabilidade, tontura, labirintite, anemia e falta de energia, entre tantos outros.